Imagens mostram casa onde líder da Al-Qaeda foi morto pelo ataque dos EUA

Paul P. Murphy, Shafi Kakar e Masoud Popalzai
2 ago, 19:39
Morte de Ayman al-Zawahiri

Casa, localizada no bairro de Sherpur, em Cabul, está rodeada por várias habitações e edifícios a norte, sul e oeste

A CNN identificou a casa em Cabul, Afeganistão - um chamado "palácio papoila", rodeado por casas de senhores da droga e da guerra - que foi atingida por um ataque de mísseis Hellfire que matou o líder da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahiri, nas primeiras horas da manhã de domingo.

A identificação foi feita através da geolocalização e verificação da autenticidade de três fotografias que circulam nas redes sociais desde domingo, além da utilização de imagens de satélite de alta resolução em arquivo.

Zawahiri estava na varanda quando o ataque teve lugar, disse o presidente dos Estados Unidos (EUA), Joe Biden, num discurso de segunda-feira à noite. A CNN contactou o Conselho Nacional de Segurança dos EUA para comentar a identificação da casa, mas não recebeu imediatamente resposta.

A casa, localizada no bairro de Sherpur, na capital afegã, está rodeada por várias casas e edifícios a norte, sul e oeste. Diretamente a leste da casa situa-se a Escola Secundária Omaid.

A pouco menos de 300 metros a sudeste da casa fica a embaixada do Reino Unido em Cabul. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros britânico, todo o pessoal diplomático e consular está "temporariamente retirado" do país.

Esta fotografia parece mostrar o rescaldo do ataque

Um residente de perto da área, que ouviu uma forte explosão no domingo depois das 6 da manhã, disse à CNN que os guerrilheiros talibãs continuam a espalhar-se na área. A pessoa pediu para não ser identificada por ter medo pela sua vida.

O ataque "sacudiu" a sua própria casa, disse o residente.

A área de Sherpur, em Cabul, era uma antiga base militar, mas durante os anos de conflito civil e o domínio dos Talibãs nos anos 90, ficou quase sem uso. Em 2003, o Ministério da Defesa afegão abandonou-a e o governo dividiu-a em mais de 50 parcelas, dando-as a pessoas poderosas, incluindo ministros do governo e outros altos funcionários, além de senhores da guerra e da droga. As suas casas rapidamente ganharam o apelido de "palácios papoilas".

A CNN identificou a casa na baixa de Cabul onde Ayman al-Zawahiri, um dos terroristas mais procurados do mundo, foi morto na varanda num ataque de mísseis

Após a queda do governo Ashraf Ghani em agosto de 2021, a maioria dos proprietários das casas de Sherpur fugiu do país e as suas casas foram confiscadas pelos Talibãs.

Não é claro quem é o proprietário da casa onde Zawahiri foi morto ou se se trata de uma dessas casas confiscadas.

Na terça-feira, uma lona verde podia ser vista cobrindo a área da varanda, onde o ataque de mísseis parece ter ocorrido.

Uma equipa de televisão da BBC, que tinha estado a filmar a casa, disse que os Talibãs lhe disseram para abandonar a área depois de terem filmado a casa e a área para a sua reportagem.

Os Talibãs continuaram a fechar as ruas que conduzem ao local, disse à CNN um residente próximo.

Os jornalistas que tentaram obter acesso ao local durante toda a terça-feira foram bloqueados nas estradas principais e secundárias, disse um jornalista à CNN.

Os civis em bicicletas, motocicletas e carros também foram bloqueados de entrar, disse o jornalista.

Imagens da BBC mostram a casa de família de Ayman al-Zawahiri onde ocorreu o ataque com mísseis.

A casa fica numa área chamada Zona Verde, onde costumava viver a maioria dos anteriores funcionários do governo afegão. No ano passado, a casa na zona do ministro da Defesa em exercício no Afeganistão, Bismillah Mohammadi, foi atacada com um carro armadilhado dos Talibãs.

Zawahiri refugiou-se no centro de Cabul para se reunir com a sua família, disse Biden, e foi morto no que um alto funcionário da administração descreveu como "um ataque aéreo preciso e à medida", utilizando dois mísseis Hellfire.

O ataque, que teve lugar à 01:48 de Lisboa e nas primeiras horas da manhã de domingo em Cabul, foi autorizada por Biden após semanas de reuniões com o seu gabinete e conselheiros-chave.

O ataque atingiu o líder da Al-Qaeda de 71 anos de idade que, em tempos, agiu como médico pessoal de Osama bin Laden, e que subiu ao topo da organização terrorista depois das forças norte-americanas terem morto bin Laden em 2011.

O grupo de inteligência SITE, que monitoriza jihadistas, disse que "alguns segmentos da comunidade jihadi" estão a responsabilizar os Talibãs pela morte do líder da al-Qaeda, acreditando que os seus oficiais revelaram a sua localização aos serviços secretos norte-americanos.

A CNN contactou o grupo dos Talibãs para comentários.

Antes de dar a ordem para matar o líder terrorista, Biden quis compreender por dentro a vizinhança em que ele estava escondido. Entre os preparativos estava um modelo em pequena escala do esconderijo de Zawahiri, construído por funcionários dos serviços secretos e colocado na Sala de Situação da Casa Branca, para Biden examinar enquanto debatia as suas opções.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados