Estado Islâmico ataca prisão síria onde estão milhares de militantes. Detidos tentam escapar em massa

21 jan, 12:29
Estado Islâmico [Foto: Reuters]

"Células ainda ativas infiltraram-se em bairros vizinhos" da prisão de Ghwayran, em Al-Hasaka, no nordeste do país, conseguindo colocar um carro-bomba junto às instalações

Militantes do autoproclamado Estado Islâmico atacaram uma prisão síria onde estão detidos milhares de jihadistas, confirmaram esta sexta-feira as Forças Democráticas Sírias, lideradas pelo exército curdo.

Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, vários presos terão conseguido escapar, naquele que foi o segundo dia consecutivo de tentativa de evasão em massa, mas as forças curdas garantem que não passou de uma tentativa frustrada, não confirmando a fuga de prisioneiros.

"Células ainda ativas infiltraram-se em bairros vizinhos" da prisão de Ghwayran, em Al-Hasaka, no nordeste do país, conseguindo colocar, na noite de quinta-feira, um carro-bomba junto às instalações, de acordo com as Forças Democráticas Sírias.

Trata-se de uma das maiores prisões onde estão militantes do grupo terrorista, mais de 12.000, de 50 nacionalidades, havendo muitos franceses e tunisinos, de acordo com as autoridades curdas. Entre os detidos haverá menores, denunciaram já familiares.

O ataque causou ainda 18 vítimas mortais entre os militares curdos e guardas prisionais e cerca de 40 mortos entre os jihadistas, a maioria na sequência dos confrontos que se seguiram dentro da prisão.

O Observatório Sírio diz que este ataque é o maior desde que foi anunciado o fim do califado, em março de 2019.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados