Ela só esteve três dias em Paris e conheceu o amor da sua vida no metro

CNN , Francesca Street
25 set, 16:00

Andye só esteve em Paris durante três dias. No primeiro dia, conheceu Steven no metro. Foi um trajeto que mudaria as suas vidas para sempre

Foi em setembro de 2016. Andye, nascida no Haiti e criada nos EUA, tinha 25 anos e estava a terminar o mestrado em Amesterdão, nos Países Baixos.

Ela estava na fase intermédia da licenciatura, em que os estudos terminaram mas a formatura ainda estava por realizar. "Decidi que ia viajar durante um mês e, depois, voltaria para Amesterdão'", contou Andye à CNN Travel.

Andye planeou um mês de aventura para explorar Itália, Grécia, Egito e Índia. No regresso, viajou até Paris para visitar uma amiga chegada, Seyna, que vivia na capital francesa e tinha alguns pertences de Andye.

"Entrei no metro para ir a casa da minha amiga, onde tinha deixado as malas", recordou Andye à CNN Travel. "E foi aí que ele entrou."

"Ele” era Steven, um estudante de mestrado de 26 anos, originário da República Centro-Africana, que estudava em Paris e trabalhava em part-time numa escola. (Andye e Steven pediram que apenas fossem usados os seus nomes próprios por razões de privacidade.)

Quando Steven entrou no comboio, a carruagem já estava cheia de pessoas. Era um dos vários passageiros que estava de pé. Enquanto isso, Andye estava sentada, com a mochila em cima dos joelhos e com auscultadores na cabeça. Steven reparou logo nela.

"Achei-a muito bonita", contou Steven à CNN Travel.

Algumas paragens depois, a carruagem esvaziou, havia lugares livres e Steven sentou-se em frente a Andye. Ele olhava constantemente para ela. Ela também parecia estar a olhar para ele. Os olhares deles continuavam a cruzar-se.

Andye também reparou em Steven entre os imensos passageiros.

"Não parávamos de olhar um para o outro", recordou. "Ele virava-se para olhar para mim, e eu olhava para o lado, e fizemos isso durante uns bons 15 minutos, olhávamos um para o outro e desviávamos o olhar.”

Enquanto o comboio passava por baixo das ruas parisienses, Steven pensou numa forma educada de meter conversa com a rapariga que tinha uma mochila. Queria falar com ela, mas também queria respeitar o seu espaço e privacidade.

Enquanto isso, Andye estava silenciosamente a fantasiar sobre o desconhecido à sua frente.

Ela lembra-se de ter ficado encantada pela sua "energia tranquila".

"Ele tinha os braços musculados. Pensei: ‘Ena, ele tem ar de quem dá bons abraços’."

À medida que estes pensamentos passavam pela mente de Andye, ocorreu-lhe outro mais profundo.

"Pensei: ‘E se for o meu marido, mas nunca saberei? Porque vou sair deste comboio sem nunca falar com ele’."

"Depois, a uma dada altura, quando os nossos olhares finalmente se cruzaram e nenhum de nós olhou para o lado, eu vi os lábios dele a mexerem-se. Por isso, retirei um dos meus auscultadores."

Encontro no Metro

Steven e Andye começaram a conversar quando estavam na mesma carruagem do metro de Paris, em setembro de 2016 @DyeTravels

Falando em francês, Steven sugeriu a Andye que colocasse a sua mochila, que parecia pesada, no lugar agora vago ao lado dela.

Andye, que é fluente em francês, respondeu que não era necessário, que a mochila não era pesada.

"E não voltei a pôr os meus auscultadores, porque esperava que continuássemos a falar", disse Andye. "E então a conversa continuou."

Steven perguntou a Andye se era estudante por causa da mochila e ela falou-lhe sobre os estudos. Steven disse que também estava a tirar um mestrado.

"A dada altura, tive de sair do comboio para apanhar outro, e ele perguntou-me se podia ir comigo. E eu disse: ‘Podes fazer o que quiseres’."

Ao saírem do comboio, Steven ofereceu-se para lhe levar a mochila.

"Estava um pouco nervosa porque não o conhecia e pensei que ele poderia fugir com a minha mochila", disse Andye. "Mas o meu instinto sentiu-se confortável o suficiente para permitir que ele a levasse."

Os dois aguardaram na estação de metro, e Steven segurava na mochila. Depois, entraram juntos na carruagem e sentaram-se ao lado um do outro.

"Continuámos a falar", disse Andye. "Foi quando percebemos que estávamos a tirar o mestrado na mesma área. Estávamos ambos a estudar desenvolvimento sustentável e começámos a falar um pouco sobre isso."

Quando o comboio chegou à paragem de Andye, Steven saiu com ela e entregou-lhe a mochila. Trocaram os números de telefone e Steven perguntou-lhe se podia dar-lhe um abraço de despedida. Andye aceitou.

"Achei muito estranho, porque as pessoas em França só dão beijos na bochecha, não se abraçam", recordou Andye. "Pensei: ‘E se este tipo conseguir ler a mente das pessoas?’ Porque antes eu tinha pensado em receber um belo abraço dele."

Depois do abraço, os dois seguiram caminhos separados. Steven, ao olhar para o telemóvel, percebeu que o desvio que tinha feito no metro o tinha atrasado para o trabalho.

Entretanto, Andye esteve com a amiga Seyna e partilhou os detalhes do seu encontro no metro.

Mais tarde naquela noite, Steven enviou uma mensagem a Andye e esperou, nervoso, por uma resposta.

"Quando ela respondeu, gritei e corri para a casa do meu primo", disse Steven, recordando que anunciou que Andye seria a mulher com quem se casaria.

Andye e Steven trocaram muitas mensagens durante toda a noite, e tentaram perceber se podiam voltar a encontrar-se antes de Andye regressar a Amesterdão. Ela tinha uma agenda apertada, e, inicialmente, sugeriu que seria mais fácil encontrarem-se daí a algumas semanas.

"Mesmo que nos vejamos apenas por um segundo, quero mesmo ver-te antes de ires embora", respondeu Steven.

Os dois decidiram marcar um jantar rápido na última noite de Andye. Steven queria impressionar Andye levando-a a um restaurante chique, mas Andye queria ter a certeza de que não chegaria tarde a casa, dado que teria de viajar no dia seguinte.

Foram a um restaurante de fast food, mesmo ao lado da paragem do metro onde se separaram da primeira vez.

Enquanto Andye se preparava para o encontro, Seyna gozou com ela sobre o seu encontro romântico no metro e os planos subsequentes.

"Ela estava muito nervosa por eu ir ao encontro", riu-se Andye.

Quando se viram de novo, tanto Andye como Steven estavam muito entusiasmados.

"Senti borboletas no estômago", disse Steven.

"Fizemos a habitual saudação francesa com um beijo em cada bochecha, ou seja, la bise", recordou Andye, que se lembra de ter tentado moderar o seu entusiasmo devido ao seu regresso iminente aos EUA.

No interior do restaurante, os dois começaram rapidamente a conversar.

"Começámos a falar e a conhecermo-nos um pouco", recordou Andye.

Steven foi direto com Andye e explicou que estava à procura de um relacionamento.

"Eu pensei: ‘Este é o primeiro encontro, estás a ir depressa demais’. Mas apreciei a sua sinceridade", disse Andye. "Continuámos a falar e fiquei, mais uma vez, com aquela sensação de tranquilidade por estar perto dele."

O plano original de Andye para a noite ser curta já não parecia tão importante. Ela sugeriu que fossem a um bar no centro de Paris.

Mais tarde, Steven acompanhou Andye ao apartamento da amiga. À porta, beijaram-se. Depois, Steven voltou para o casa, nos subúrbios de Paris.

Só mais tarde é que ele se apercebeu de que os comboios já tinham parado de circular, por isso, foi a pé a maior parte do caminho. Steven disse que não se importou, que se deixou levar pelo entusiasmo e pelo romance da noite.

Entretanto, Andye falou alegremente com Seyna sobre o encontro e sobre como tinha corrido bem.

"No dia seguinte parti para Amsterdão, mas mantivemos o contacto. Ele enviou-me mensagens durante todo o tempo em que estive em Amesterdão", recordou Andye.

Longa distância

Andye voltou para os EUA, mas manteve contacto com o Steven @DyeTravels

Depois de se formar, Andye regressou a Paris por pouco tempo antes do seu regresso aos EUA. Mais uma vez, ela marcou um encontro com Steven na paragem do metro, perto do apartamento de Seyna.

Os dois entraram no comboio e foram dar um passeio pelos Campos Elísios, pela zona de Trocadéro e em direção à Torre Eiffel.

Andye e Steven tentaram ver-se o máximo possível durante esses dias e muitas vezes andaram juntos no metro. Numa dessas viagens, Steven disse a Andye que não queria que ela voltasse para os EUA.

"Porquê?", perguntou Andye.

"Porque te amo", disse Steven.

"Como podes amar-me? Nem sequer me conheces!", disse Andye.

Andye embarcou no seu voo para os EUA no final de setembro, sem planos iminentes de regressar à Europa.

"Não fizemos planos para nos encontrarmos, tínhamos esperança de que nos voltaríamos a ver, a uma dada altura", disse Andye. "Decidimos que íamos manter o contacto, e continuar a enviar mensagens e a falar", disse Steven.

Três meses depois, Andye começou a trabalhar com uma organização internacional sediada em Washington, DC.

Depressa ficou a saber que o cargo envolvia viagens de negócios, principalmente para a Guiné, e a maioria dos voos incluía uma escala em Paris.

Em março de 2017, seis meses depois do seu primeiro encontro no metro, Steven e Andye encontraram-se no aeroporto Charles de Gaulle devido à escala de 24 horas de Andye.

Nos meses seguintes, os dois estiveram em constante comunicação, mas não era o mesmo que finalmente se verem cara a cara.

"Ena, esta pessoa realmente existe", lembrou-se Andye de ter pensado isso.

"Conversámos muito, abraçámo-nos muito", disse Steven sobre o reencontro. Mas, pouco depois, estavam novamente a despedir-se.

O cargo de Andye envolvia viajar para a África Ocidental a cada três meses e, de todas as vezes, tentou incluir uma escala em Paris.

Mas Steven sentiu-se culpado por Andye ser sempre a única a viajar, ele não tinha visto para viajar para os EUA, por isso, não podia retribuir as viagens.

"Estava a ficar complicado", disse ele. “Como era sempre a Andye que fazia as viagens, achei que mais tarde isso tornar-se-ia ainda mais complicado.”

Steven não comunicou a sua preocupação a Andye. Mas ela sentiu que se passava alguma coisa.

"Só me lembro de ele estar menos atencioso e muito distante. E eu disse: ‘Olha, se não estás envolvido, vamos acabar com isto. Não vou perseguir-te. Eu amo-te, mas não gosto de relacionamentos unilaterais. Gostaria que fosse recíproco. E como não é, vou afastar-me."

Reunidos em Paris

Andye e Steven voltaram a ver-se em Paris depois de alguns meses separados @DyeTravels

Passaram-se alguns meses, e Andye e Steven não falaram durante este período, mas ambos pensavam muito um no outro. Entretanto, Andye planeou uma viagem a Paris para visitar Seyna.

"Normalmente, sou o tipo de pessoa que quando uma relação acaba, acaba mesmo. Mas com ele, senti que isto era mais uma espécie de pausa do que uma separação definitiva", contou Andye.

"Pedi à minha amiga Seyna para o contactar para saber se estava tudo bem com ele - já que não tinha tido notícias dele - e para lhe dizer que eu ia passar uma semana de férias a França."

Steven e Andye combinaram encontrar-se durante a viagem de Andye.

"Falámos muito, saímos para dançar e, depois, as coisas voltaram a ser como antes", disse ela. "Estive em Paris pelo menos quatro a cinco dias e passámos a maior parte do tempo juntos."

Steven disse que ver Andye novamente depois daqueles meses sem nenhum contacto "reacendeu um fogo" dentro dele.

"Naquele momento pensei: 'Se não fizer com que resulte, vou arrepender-me para o resto da minha vida',” disse ele.

Os dois puderam falar francamente sobre a situação e Andye explicou que não se importava de ser sempre ela a viajar, dado que podia incluir as visitas quando viajava em trabalho.

Eles separaram-se, mas tinham definido as condições da relação.

"Fiquei muito confiante face à nossa relação depois daquela visita, mas acho que demorei algum tempo a voltar a entregar-me", disse Andye.

A relação sofreu outro contratempo quando Andye estava de volta a DC. Quando voltaram a estar juntos, Andye foi firme, ela disse ao Steven que ambos tinham de estar empenhados.

"Eu disse: ‘Olha, não tenho tempo para joguinhos. Se é isto que queres fazer, não é para mim.’ Fui muito rigorosa a estabelecer os meus limites. Eu disse-lhe: ‘Olha, se estás mesmo a levar esta relação a sério, toma o número da minha mãe. Diz-lhe que as tuas intenções para com a filha são sérias’."

No espaço de uma semana, Steven tinha enviado um longo parágrafo à mãe de Andye.

"Tentei contar-lhe um pouco sobre mim", explicou Steven. "Eu disse que as minhas intenções relativamente à Andye eram sérias."

A mensagem de Steven fez com que a relação de Andye e de Steven passasse ao nível seguinte. Começaram a falar sobre o país em que poderiam viver no futuro e sobre planos para o casamento.

A separação temporária de Andye e Steven tornou a relação mais forte @DyeTravels

Da próxima vez que estiveram juntos em França, em novembro de 2017, Andye incluiu uma semana de férias na sua escala.

"Ele foi buscar-me e levou os meus croissants de chocolate preferidos para o aeroporto", recordou ela. "Ele sabe que sou viciada."

Foi durante esta viagem que Steven a pediu em casamento.

"Quando conheci a Andye, senti-me em paz, em sintonia com todos os elementos da Natureza", disse Steven. "Mas quando quis pedi-la em casamento, senti uma onda de vários sentimentos. Perguntei a mim próprio o que faria se ela dissesse que não, mas, ao mesmo tempo, estava entusiasmado com a ideia de ela aceitar ser minha mulher. Eu estava nervoso e a tremer por dentro.”

Andye aceitou o pedido de Steven.

"Tive a mesma sensação de tranquilidade que tive no primeiro dia em que o conheci", contou Andye acerca do momento em que aceitou o pedido.

O casal guardou a notícia para si durante algum tempo. Primeiro, contaram à Seyna, a amiga de Paris de Andye, e mais tarde ao melhor amigo de Steven.

Os dois decidiram desfrutar do noivado por algum tempo, e não se apressaram a casar. Continuaram o seu romance de longa distância e, no verão seguinte, Andye passou quatro meses em França com Steven. Ela demitiu-se do emprego e estava a fazer uma pequena pausa, tentando definir os próximos passos relativamente à carreira.

"Foi um verão maravilhoso", disse Andye, recordando o tempo de qualidade passado com Steven, a família e amigos dele.

Enquanto esteve em França, Andye candidatou-se a empregos em Paris, mas isso foi mais complicado do que esperava. Andye e Steven já tinham decidido que fazia mais sentido Andye mudar-se para França, pois era fluente em francês. Mas como teve dificuldade em encontrar um emprego em França, o casal começou a discutir a possibilidade de viverem juntos nos EUA.

Quase um ano depois, em julho de 2019, o visto de noivo de Steven foi aprovado. Para comemorar, Andye e Steven foram ao Haiti. Enquanto lá estavam, sentiram-se inspirados para planear a celebração do casamento no Haiti.

Mudança para os EUA

Andye e Steven casaram exatamente três anos depois de se terem conhecido no Metro @DyeTravels

Steven e Andye começaram a sua vida juntos na América num pequeno estúdio em DC. Tiveram um casamento discreto no registo civil no dia 16 de setembro de 2019 - no dia em que fazia três anos que se tinham conhecido no metro - enquanto antecipavam uma celebração maior no Haiti no ano seguinte.

Andye e Steven estavam radiantes por viverem juntos depois de anos de uma relação de longa distância. Os dois formaram uma empresa, a Afrayiti, que cria vestuário artesanal com tecidos africanos.

Pouco tempo depois, a covid-19 atingiu os EUA, Steven perdeu o emprego, e, logo no início, Andye foi contagiada com o vírus e foi hospitalizada.

Ela recuperou fisicamente, mas sofreu de ansiedade durante algum tempo.

"Fiquei muito ansiosa ao ponto de não sair de casa durante três meses", recordou Andye. "Eu nem sequer saía à porta do nosso apartamento."

Durante este tempo, Andye disse que Steven foi um grande apoio. "Não teria sobrevivido a esta pandemia, se não fosse ele."

Steven disse que só gostaria de ter passado o confinamento com a Andye.

A celebração do casamento no Haiti foi cancelada, e o casal passou o tempo a cozinhar, a costurar e a desenhar.

À medida que a pandemia esmorecia, Steven encorajou Andye a reentrar no mundo. Ela está grata pela paciência dele durante este período.

"Eu estava com tanto medo de ir à rua e ele incentivou-me a dar pequenos passos", disse Andye.

No verão de 2021, o casal mudou-se para a Florida, aliciado pela ideia de mais espaço, de um clima quente e proximidade à praia. Eles sentem-se, disse Andye, "em paz" na Florida.

Uma comédia romântica da vida real

 Andye e Steven sentem que o destino os uniu @DyeTravels

Hoje, Andye e Steven ainda vivem na Florida e planeiam aventuras futuras. Desde que o mundo abriu, visitaram a Tanzânia, o Zanzibar e a Costa Rica.

Quando a celebração do casamento no Haiti foi cancelada, o casal decidiu iniciar uma tradição em que planeiam férias para coincidir com o seu aniversário. Neste momento, estão no México a celebrar os seis anos desde que se conheceram no metro e os três anos de celebração do casamento.

"Uma das coisas que é simbólica - e acho que ele não repara - é que quando estamos a viajar, ele gosta de me perguntar se pode levar a minha mochila", disse Andye.

Steven tem carregado a mochila dela "desde o primeiro dia,” disse Andye, a rir.

Andye e Steven acham que estavam destinados a conhecer-se no metro naquele dia, mas ambos têm momentos em que ficam admirados com o que aconteceu.

"Há dias em que lhe digo: ‘Céus, sou casada com um desconhecido que conheci no metro em Paris", disse ela.

"E se eu me tivesse atrasado para apanhar o metro, o que teria acontecido?", disse Steven. "Foi o destino que nos uniu."

Quando Steven e Andye contam aos outros como se conheceram, dizem-lhes muitas vezes que a sua história se assemelha a uma comédia romântica.

"Sinceramente, sinto que estou a viver uma comédia romântica com ele", disse Andye. “Especialmente por ser uma mulher negra, não se veem muitas histórias de amor internacionais com mulheres negras ou homens negros.”

“Às vezes, quando penso nisso, só me ocorre isto: ‘Ena, estou a viver a minha própria comédia romântica.’ Não preciso de ver na televisão, é isto."

Europa

Mais Europa

Patrocinados