"As pessoas querem pôr a minha bebé no microondas e dizem-me isso". Amber Heard volta ao banco das testemunhas e denuncia que tem recebido ameaças de morte

27 mai, 12:08
Amber Heard

Alegações finais do julgamento estão marcadas para esta sexta-feira. Atriz foi a última testemunha a ser ouvida e disse esperar conseguir recuperar a sua voz, uma vez que o ex-marido já lhe "tirou o suficiente"

Chegou ao fim a inquirição de testemunhas e apresentação de provas no julgamento que coloca Johnny Depp e Amber Heard frente a frente a tribunal. E foi à atriz que coube a última palavra.

No 22.º dia de julgamento, Amber Heard voltou ao banco das testemunhas, dizendo que reviver o que passou na relação com o ex-marido em tribunal, em audiências transmitidas mundialmente, a fizeram sentir humilhada e temer pela vida, uma vez que, segundo escreve a Associated Press, recebeu várias ameaças de morte. 

“O assédio e a humilhação, a campanha contra mim que ecoa todos os dias nas redes sociais e agora na frente das câmeras no tribunal. Todos os dias tenho que reviver o trauma. Talvez seja fácil esquecer que sou um ser humano", afirmou Heard enquanto lutava com as lágrimas, naquele que foi o seu testemunho mais emotivo.

Segundo o canal Law and Order, Amber revelou ainda que, no total, ao longo de todo o julgamento, já recebeu "milhares de ameças" e que nem a filha foi poupada.

"As pessoas querem pôr a minha bebé no microondas e dizem-me isso", afirmou.

No final, voltou a dizer o que já tinha afirmado quando testemunhou pela primeira vez: “Johnny ameaçou, e prometeu-me que se alguma vez o deixasse, que ele me faria pensar nele todos os dias que eu vivesse. Só quero que o Johnny me deixe em paz”.

Johnny Depp na 22.ª sessão de julgamento (EPA)

"Mentiras expostas ao mundo"

Amber Heard foi alvo de interrogatório por alvo da equipa jurídica de Johnny Depp e ouviu Camille Vasquez afirmar que, graças ao testemunho de Kate Moss, a atriz teve as suas "mentiras expostas ao mundo" e questionou-a sobre as testemunhas que contradiziam os seus depoimentos. A ex-mulher de Depp respondeu à advogada, dizendo-lhe que era o que tinha ouvido de várias pessoas e que "era o que acreditava na altura". 

"Sei que muitas pessoas vão sair da toca para apoiar o Johnny", afirmou.

Perante a resposta de Heard, Vasquez perguntou-lhe se estava a acusar as testemunhas de terem mentido.

"Sei quantas pessoas se movimentarão e dirão o que quer que seja por ele. É o seu poder. Foi por isso que escrevi o artigo. Estava a falar desse fenómeno”, afirmou.

A atriz disse ainda que espera que o julgamento lhe permita que recuperar a sua voz, acrescentando que tinha "o direito como americana" de publicar o artigo que descrevia as suas experiências e como estas se relacionam com o debate nacional sobre violência doméstica.

"O Johnny já tirou o suficiente da minha voz. Eu tenho direito a contar a minha história. O Johnny prometeu - ele prometeu-me - que arruinaria a minha vida, a minha carreira. Que me ia tirar a minha vida", afirmou.

Esta sexta-feira, terão lugar as alegações finais deste julgamento, que arrancou a 11 de abril. Ao longo de quatro dias, Johnny Depp prestou depoimento, sendo confrontado com mensagens, vídeos e áudios das discussões entre o casal. Também Amber Heard foi ouvida ao longo de quatro dias.

Neste processo de difamação, Depp exige 46 milhões de euros à ex-mulher, tendo a atriz avançado com acusação semelhante, mas exigindo 93 milhões.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados