Rio que cruza a Europa está a secar. Transporte de mercadorias na Alemanha em risco

17 ago, 11:44
Seca no rio Reno (Getty Images)

Extenso período de seca reduziu o nível de alguns rios a níveis históricos. O rio Reno, a principal artéria fluvial europeia, já enfrenta mesmo problemas de navegação

Algumas fábricas alemãs podem vir a interromper (ou até parar definitivamente) a sua produção devido à descida do nível de água no rio Reno, que está a comprometer o transporte de mercadorias. O alerta foi feito pela poderosa Confederação da Indústria Alemã (BDI), esta terça-feira.

"A seca persistente e o baixo nível dos rios ameaçam a segurança do abastecimento da indústria, as empresas começam a preparar-se para o pior. A situação económica está a tornar-se cada vez mais grave", lê-se num comunicado de alguns empregadores alemães.

Este extenso período de seca reduziu o nível de alguns rios a níveis históricos. O rio Reno, a principal artéria fluvial europeia, já enfrenta mesmo problemas de navegação.

Desta forma, a seca está a comprometer a segurança das cadeias de abastecimento da principal economia da Europa. "É uma questão de tempo até que as fábricas tenham de ser fechadas, os óleos minerais e os materiais de construção não cheguem ao destino, ou até mesmo que o transporte de cargas pesadas não se possam realizar", adianta a BDI. Os atrasos ou cancelamentos das entregas e a redução do tempo de trabalho são algumas das consequências apontadas.

16 de agosto de 2022: baixo nível de água do rio Reno em Bad Honnef, na Alemanha

O baixo nível dos rios também pode potenciar os problemas de abastecimento de energia: as dificuldades no transporte afetariam os planos do governo alemão de aumentar temporariamente a utilização do carvão na tentativa de reduzir a importação do gás russo. Para além do transporte de carvão, o abastecimento de combustível também depende do transporte hidroviário.

Segundo os economistas, os problemas no Reno tornam o cenário de recessão na Alemanha ainda mais provável. "O crescimento deverá ser de apenas 1,2% em 2022", disse o economista-chefe do Deutsche Bank, Stefan Schneider.

O rio, que está ligado ao Danúbio por um canal, percorre cerca de 800 quilómetros através de zonas industriais suíças e alemãs antes de desaguar no Mar do Norte, no movimentado porto de Roterdão, nos Países Baixos, com o tráfego de carga a tornar-se quase insubstituível para muitas empresas.

A vida marítima pode não ser a única solução de transporte possível, mas sempre foi a mais viável, já que são necessários mais de 110 camiões para transportar a mesma carga de um navio de tamanho médio. A isso, acresce a contratação de milhares de camionistas e ainda a reestruturação parcial ou total das estradas.

16 de agosto de 2022, Renânia do Norte-Vestfália, Emmerich: Um navio de carga mal carregado no Reno no quilômetro 852 do Ren
16 de agosto de 2022: navio com pouca carga devido à descida do nível do rio Reno

 

Europa

Mais Europa

Patrocinados