Falha mecânica e negligência provocaram acidente aéreo na Indonésia em 2021

Agência Lusa , AM
10 nov, 11:57
Familiares e trabalhadores esperam notícias do voo que se despenhou na Indonésia

Boeing 737-500 da Air Sriwijaya caiu no Mar de Java poucos minutos depois de ter descolado de Jacarta para Pontianak. Todos os 50 passageiros e 12 tripulantes morreram no acidente

O acidente com um avião de uma companhia indonésia em 2021, em que morreram 62 pessoas, deveu-se a falhas mecânicas e à negligência dos pilotos, segundo o relatório divulgado esta em Jacarta pela comissão de investigação.

O Boeing 737-500 da Air Sriwijaya caiu no Mar de Java poucos minutos depois de ter descolado de Jacarta para Pontianak, na ilha do Bornéu, em 09 de janeiro de 2021.

Todos os 50 passageiros e 12 tripulantes do voo SJ182 morreram no acidente.

O Comité Nacional de Segurança dos Transportes da Indonésia (KNKT, na sigla em indonésio) identificou vários fatores que contribuíram para o acidente, incluindo problemas mecânicos.

Uma avaria no sistema de aceleração automática do avião fez com que o aparelho se inclinasse para o lado esquerdo, disse o KNKT num comunicado citado pela agência francesa AFP.

A subida normal em modo automático parou nos 10.900 pés (3.322 metros), tendo as avarias na alavanca do acelerador começado nos 8.150 pés (2.884 metros).

A alavanca do acelerador do lado direito da aeronave permaneceu estacionária, enquanto a alavanca do lado esquerdo foi baixada excessivamente para compensar, precisou a agência espanhola EFE com base no relatório.

Antes de mergulhar, o avião, que estava ao serviço há quase 27 anos, tinha-se desviado acentuadamente da rota.

Os investigadores concluíram que os pilotos detetaram o problema demasiado tarde, apesar de “terem tempo para reparar na assimetria da aeronave antecipadamente”.

Atribuíram essa falha a uma “falta de vigilância” devido a um possível relaxamento dos pilotos quando o sistema de voo automático estava em funcionamento, o que os impediu de corrigir a trajetória.

Os investigadores também atribuíram a falta de regulamentos e diretrizes oficiais à falta de competência e conhecimento dos pilotos para lidar com tais situações.

Num relatório preliminar, os investigadores disseram que tripulações anteriores tinham reportado deficiências no funcionamento do sistema de aceleração do Boeing, que foi reparado várias vezes antes do voo fatal.

A Indonésia é um vasto arquipélago com um mau historial de segurança na aviação, apesar da sua grande dependência das viagens aéreas para ligar as mais de 17.000 ilhas.

Considerado o país mais perigoso para voar na Ásia, a Indonésia sofreu 104 acidentes aéreos civis com 2.301 mortos desde 1945, de acordo com dados da Rede de Segurança Aérea, citados pela EFE.

O mais grave ocorreu em setembro de 1997, quando um Airbus A300B4 da companhia aérea indonésia Garuda Airlines se despenhou no norte da ilha de Sumatra, matando todas as 234 pessoas a bordo.

Antes do acidente do ano passado, 189 pessoas morreram em outubro de 2018, quando um Boeing 737 MAX da Lion Air caiu ao mar e, em 2014, um Airbus A320 da Air Asia também caiu no Mar de Java, matando as 162 pessoas que estavam a bordo.

PNG // APN

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados