China "fará tudo o possível para prestar apoio" a Cuba

Agência Lusa , AM
25 nov, 08:16
Xi Jinping (AP Photo/Alex Brandon)

No entanto, Xi Jinping afirmou que a China “não vai mudar” a política de “amizade” com Cuba ou a “vontade de trabalhar” com Havana para “proteger a justiça internacional e opor-se à hegemonia”

O presidente chinês, Xi Jinping, afirmou esta sexta-feira que a China “fará tudo o possível para prestar apoio” a Cuba, que “enfrenta grandes desafios”, durante um encontro, em Pequim, com o homólogo cubano, Miguel Díaz-Canel.

Xi garantiu que, “independentemente da situação internacional”, a China “não vai mudar” a política de “amizade” com Cuba ou a “vontade de trabalhar” com Havana para “proteger a justiça internacional e opor-se à hegemonia”.

Díaz-Canel, que chegou esta madrugada à China para uma visita oficial de dois dias, mencionou a crise económica no país e indicou que conta com o “apoio de países amigos como a China”, de acordo com uma mensagem difundida pelo seu gabinete, através da rede social Twitter.

Díaz-Canel aterrou na China oriundo da Turquia, na última paragem de um périplo internacional, que incluiu também visitas à Argélia e Rússia, numa altura em que a ilha atravessa um dos piores momentos económicos das últimas décadas, devido a uma grave crise energética.

Cuba foi, em 1960, o primeiro país latino-americano a estabelecer relações diplomáticas com a República Popular da China, fundada em 1949. Pequim tem tradicionalmente apoiado Havana em fóruns internacionais como as Nações Unidas, nos quais pediu o levantamento do embargo norte-americano.

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados