"Habeas corpus indeferido": Manuel Pinho vai continuar em prisão domiciliária

20 dez 2022, 21:39

O Supremo Tribunal de Justiça rejeitou o pedido de libertação imediata de Manuel Pinho.

Os juízes conselheiros entendem que os prazos para a dedução da acusação do Ministério Público não foram ultrapassados, o que significa que o ex-ministro da Economia vai continuar em prisão domiciliária.

A defesa pondera recorrer aoP Tribunal Constitucional.

EDP

Mais EDP

Mais Vistos

Patrocinados