Drama na Azovstal: civis e soldados sem água, comida e medicamentos

30 abr, 20:29

Na cidade de Mariupol, a mais fustigada pela guerra, continua a incerteza sobre o corredor humanitário no complexo metalúrgico de Azovstal.

Um aparente cessar-fogo só terá começado ao final da manhã. Antes disso, entre as seis e as onze da manhã, os russos voltaram a atacar a Azovstal com artilharia pesada, onde estão refugiados mais de 3 mil civis e militares. Muitos precisam desesperadamente de assistência médica.
 

Europa

Mais Europa

Patrocinados