Derrota do macronismo com a França mais à direita desde a II Guerra Mundial

1 jul, 15:31

Gabriel Attal, candidato do Juntos pela República e primeiro-ministro demissionário, diz que a lição a tirar da primeira volta das legislativas antecipadas em França é que a extrema-direita está às portas de um Governo, ainda que coabitação. Attal não fez uma autocrítica depois dos resultados, ainda que o líder do Governo de Emmanuel Macron tenha sofrido uma dura derrota no domingo, com 20% dos votos. Em primeiro lugar ficou, tal como apontavam as sondagens, Jordan Bardella, da União Nacional, antiga Frente Nacional, a força de extrema-direita fundada por Jean-Marie Le Pen, com mais de 33% dos votos.

 

A deputada Marine Le Pen diz que os resultados são um "sinal de esperança para os franceses", enquanto o candidato do partido propôs um debate com Jean-Luc Mélenchon, líder do partido de esquerda A França Insubmissa e agora candidato pela Nova Frente Popular, a união de grande parte das forças de esquerda - incluindo o Partido Socialista - com 28% dos votos, diz que o importante é conseguir a maioria.

Europa

Mais Europa

Mais Vistos

Patrocinados