Distinção das Festas de Campo Maior como património mundial “muito honra” Portugal

Agência Lusa , DCT
15 dez 2021, 19:18
Graça Fonseca
Graça Fonseca

A classificação, ao mesmo tempo, “projeta a cultura portuguesa, contribuindo de modo significativo para valorizar e salvaguardar este património que nos é comum”, acrescenta

PUB

A ministra da Cultura congratulou-se esta quarta-feira com a classificação das Festas do Povo de Campo Maior, no Alentejo, como Património Cultural Imaterial da Humanidade, o que “muito honra” Portugal e contribui para “valorizar e salvaguardar” aquele bem patrimonial.

Em comunicado, Graça Fonseca refere que o ‘selo’ da UNESCO às Festas do Povo de Campo Maior (Portalegre) “muito honra todo o país” e “distingue culturalmente a região do Alentejo”.

PUB

A classificação, ao mesmo tempo, “projeta a cultura portuguesa, contribuindo de modo significativo para valorizar e salvaguardar este património que nos é comum”, acrescenta.

As Festas do Povo de Campo Maior foram esta quarta-feira classificadas, ao início da tarde, como Património Cultural Imaterial da Humanidade, durante a 16.ª reunião do Comité Intergovernamental da UNESCO para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial, que está a decorrer em Paris (França), até sábado.

Festas "têm um contributo muito especial das mulheres de Campo Maior", diz ministra

PUB
PUB
PUB

Segundo a ministra, “todos os portugueses, em particular os alentejanos, estão, uma vez mais, de parabéns, por saberem manter viva uma das mais ricas tradições culturais portuguesas, justamente designadas Festas do Povo de Campo Maior”.

As festas, “enquanto manifestação popular de uma comunidade viva, têm um contributo muito especial das mulheres de Campo Maior, que trabalham de modo continuado nas suas flores em papel, passando esse testemunho às gerações mais novas e permitindo manter viva uma tradição em que todos os portugueses se reconhecem”, frisa a ministra.

Graça Fonseca sublinha que as festas, que “’acontecem quando o povo quer’, não decoram apenas o centro histórico de Campo Maior com milhões de coloridas flores de papel, mas [também] abrem a vila a todos os portugueses”.

A ministra frisa que a “prestigiada distinção” pela UNESCO “só foi possível devido à iniciativa” da Associação das Festas do Povo de Campo Maior (AFPCM), que promoveu a candidatura em conjunto com o município e a Entidade Regional de Turismo do Alentejo, contando com o apoio da Direção Regional de Cultura do Alentejo.

PUB
PUB
PUB

A ministra lembra que as Festas do Povo de Campo Maior já estavam inscritas no Inventário do Património Cultural Imaterial desde 2018.

No ano seguinte, “o comité de peritos já tinha destacado a candidatura portuguesa como um exemplo de como uma pequena comunidade assumiu a responsabilidade pelo seu património cultural imaterial, numa abordagem que destaca os reflexos das mudanças sociais e económicas nas manifestações culturais atuais”, frisa.

Com a distinção atribuída hoje, as Festas do Povo de Campo Maior integram a “importante lista” de bens classificados como Património Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO, da qual já fazem parte o fado, o cante alentejano, a louça de Bisalhães, os chocalhos de Alcáçovas, os Bonecos de Estremoz e os Caretos de Podence, sublinha Graça Fonseca.

Relacionados

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

País

Mais País

Patrocinados