Carta aberta com 25 signatários defende manutenção pública da TAP

ECO - Parceiro CNN Portugal , Mariana Espírito Santo
23 mai, 10:05
Airbus A-320 da TAP (fonte: Getty)

Carta com 25 assinaturas de personalidades do PS, da esquerda e da sociedade civil defende a "recusa da privatização integral da TAP" e a manutenção do hub em território nacional

A TAP continua a estar no centro das atenções e surge agora uma nova manifestação pública pela defesa da manutenção do controlo público da TAP. Trata-se de uma carta aberta, assinada por 25 personalidades como António Correia de Campos, Eduardo Paz Ferreira e Ricardo Paes Mamede, que considera que a companhia aérea não é um “ativo tóxico”, mas sim “um trunfo económico ao serviço do país”.

Este conjunto de personalidades, maioritariamente ligadas à esquerda, defende, num texto divulgado no Público (aceso pago) esta terça-feira, que “uma TAP, controlada por capitais públicos e bem gerida, à semelhança da Caixa Geral de Depósitos, poderá gerar dividendos para os contribuintes”. Consideram ainda que “a privatização só serviria interesses ocultos e não o interesse nacional”.

Depois de enumerar um conjunto de números que mostram o contributo da companhia aérea para a economia, apontam que se o Estado não tivesse investido a TAP ia à falência e argumentam também que “o tempo provou que a privatização ilegal da TAP, pelo Governo de gestão do PSD-CDS, em 2015, entregando a empresa a quem não tinha a capacidade financeira necessária, foi ruinosa para os contribuintes e para a economia nacional”.

Relacionados

Empresas

Mais Empresas

Patrocinados