Antigo primeiro-ministro tailandês vai ser libertado no domingo

Agência Lusa , DCT
17 fev, 08:47
Thaksin Shinawatra de regresso à Tailândia (AP)

Thaksin Shinawatra é uma figura central na vida política da Tailândia, país que liderou de 2001 a 2006, até ao golpe de Estado militar.

O antigo primeiro-ministro tailandês Thaksin Shinawatra, detido desde que regressou do exílio em agosto passado, vai ser libertado em liberdade condicional no domingo, disse o chefe do Governo, Srettha Thavisin.

"Só sei que será no dia 18. Ainda não falámos sobre os pormenores. Será feito de acordo com a lei", disse aos jornalistas.

Na terça-feira, o Governo tailandês tinha indicado que Thaksin Shinawatra, de 74 anos, ia ser libertado antes do final da pena devido ao estado de saúde.

Inicialmente condenado a oito anos de prisão por corrupção e abuso de poder, o bilionário beneficiou, em setembro, de um perdão real que reduziu a pena para um ano atrás das grades.

Com a confirmação da libertação no domingo, Thaksin Shinawatra terá passado apenas seis meses detido, a maior parte dos quais num hospital da polícia em Banguecoque, onde foi submetido a pelo menos duas operações, de acordo com a família.

Thaksin Shinawatra é uma figura central na vida política da Tailândia, país que liderou de 2001 a 2006, até ao golpe de Estado militar.

Condenado numa série de processos que considerou terem sido motivados por razões políticas, esteve exilado no estrangeiro durante 15 anos, até ao regresso em agosto passado.

Do estrangeiro, o líder, acusado de populismo pelos opositores, continuou a exercer influência através da família e do partido, agora chamado Pheu Thai, que recuperou o poder em agosto passado.

Thaksin Shinawatra também está a ser acusado de lesa-majestade por comentários que fez em 2015, mas a justiça tailandesa ainda não decidiu que medidas tomar em relação a este caso.

Ásia

Mais Ásia

Mais Lidas

Patrocinados