Homens com ligações ao Hamas que preparavam ataque terrorista detidos na Europa

14 dez 2023, 17:26
Polícia alemã (Getty)

De acordo com os procuradores alemães, os suspeitos são membros de longa data do Hamas e têm ligações à liderança militar do grupo

Sete pessoas foram detidas esta quinta-feira na Alemanha, na Dinamarca e nos Países Baixos por suspeição de estarem a preparar uma vaga de ataques terroristas “em nome” do Hamas, avança a agência Reuters.

Três dos suspeitos, dois cidadãos libaneses e um egípcio, foram detidos em Berlim pelas autoridades alemãs. Um outro individuo, um cidadão neerlandês de 57 anos, foi preso em Roterdão após um pedido da polícia alemã. Em simultâneo, três pessoas foram detidas na Dinamarca depois de uma investigação ter revelado a existência de uma célula terrorista no país.

De acordo com os procuradores alemães, os quatro homens são membros de longa data do Hamas, organização terrorista islâmica, e têm ligações à liderança militar do grupo, responsável pelo ataque terrorista de 7 de outubro, que matou mais de 1.200 cidadãos israelitas.

Um dos libaneses detidos teria recebido ordem dos líderes do Hamas para fornecer armas. Este armamento deveria ficar armazenado em Berlim até que o grupo recebesse a ordem para lançar o ataque, que, de acordo com os procuradores, tinha como alvo várias instituições judaicas.

“Após os terríveis ataques do Hamas à população israelita, os ataques a judeus em instituições judaicas também aumentaram no nosso país, nas últimas semanas”, afirmou o ministro da Justiça da Alemanha, Marco Buschmann, num comunicado que fala sobre estas detenções.

O ministro insiste que, por isso, o governo alemão deve “fazer tudo o que estiver ao alcance” para garantir que os judeus na Alemanha “não tenham de temer pela sua segurança” novamente.

“A investigação revelou que uma rede de pessoas estava a preparar um ato terrorista”, explicou Flemming Drejer, superintendente dinamarquês, numa conferência de imprensa citada pela agência Reuters, onde

A primeira-ministra dinamarquês descreveu estes desenvolvimentos como “extremamente sérios” e admite que estão ligados à situação que se vive entre Israel e o Hamas, na Faixa de Gaza. A polícia dinamarquesa garantiu ainda que vai aumentar a sua presença pública durante os próximos dias, em particular na capital Copenhaga e junto da comunidade judaica do país.  

Israel também já reagiu. A Mossad, a agência de serviços secretos israelita, e o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu emitiram um comunicado a elogiar o trabalho das autoridades dinamarquesas e alemãs por terem “frustrado o ataque” que tinha como objetivo “matar cidadãos inocentes” em solo europeu.

“Nos últimos anos, mas especialmente desde o ataque assassino de 7 de outubro, o Hamas tem-se esforçado por expandir as suas capacidades operacionais em todo o mundo, especialmente na Europa, a fim de concretizar as suas aspirações de atacar alvos israelitas, judeus e ocidentais a qualquer preço”, acusa o gabinete do primeiro-ministro em comunicado.

Depois do ataque terrorista do Hamas contra Israel, a 7 de outubro, vários países europeus aumentaram o nível de segurança interno devido ao risco de uma nova onda de ataques atingir o continente europeu.

Portugal não foi exceção, a 20 de outubro, o Sistema de Segurança Interna aumentou o grau de ameaça para o nível 3, para o grau “Significativo”, embora insista que não existam indícios de ações terroristas em território nacional.

Europa

Mais Europa

Patrocinados