Hilary já não é furacão, mas ainda assusta: há voos cancelados e os EUA preparam-se para a tempestade

António Guimarães , Atualizada às 23:45
20 ago 2023, 19:34

Autoridades não veem razões para evacuar cidades, mas alertam todos os habitantes para não saírem de casa

Já nem sequer é um furacão, mas ainda assusta os Estados Unidos, que já estão a sentir os efeitos da agora tempestade tropical Hilary, que chegou a ser um furacão de categoria 4, num máximo de 5.

Apesar de os serviços meteorológicos norte-americanos terem dado conta da descida do alerta, há vários locais onde as consequências são claras. Na cidade de San Diego foram cancelados cerca de 37% dos voos, obrigando 120 aviões a ficar em terra ou a divergirem para outros aeroportos. Cenário ainda pior no aeroporto de Las Vegas, onde já tinham sido cancelados cerca de 170 voos, o que corresponde a mais de 20% das descolagens previstas. Nas chegadas a situação era semelhante.

Também em San Diego, bem como em localidades próximas, as autoridades anunciaram o fecho de todas as praias, uma vez que a ondulação pode ficar demasiado perigosa. Na conhecida Palm Springs, por exemplo, foi pedido que a população fique em casa durante a passagem da tempestade.

“Não temos quaisquer razões para uma evacuação”, assegurou a autarca, Grace Garner, em declarações à CBS. Apesar disso foi anunciado o fecho de “três ruas que costumam ficar inundadas” em situações do género.

Já no Vale da Morte, o inóspito local onde quase nunca chove, as imagens mostram estradas alagadas com o efeito da chuva. De resto, a tempestade pode vir a marcar novos recordes de chuva nos sistemas meteorológicos do Nevada, Idaho e Oregon.

Apesar de ser uma das preocupações, a chuva não é a única coisa a colocar as autoridades em alerta. É que teme-se que relâmpagos associados à tempestade possam provocar incêndios numa zona que é conhecida por fogos devastadores no verão.

Em pior situação está o México, onde a tempestade provocou um morto na Baja Califórnia, depois de o carro ter sido levado pela força da água em Santa Rosalía. A tempestade atingiu o país a uma velocidade superior a 100 quilómetros por hora, esperando-se que agora se dirija para território norte-americano, com as autoridades a esperarem que ainda exista um abrandamento da força do fenómeno.

A Casa Branca disse que o presidente Joe Biden foi informado sobre os últimos planos de preparação antes da passagem do furacão, agora tempestade tropical. "Exorto todos no caminho desta tempestade a tomarem precauções e ouvirem a orientação das autoridades estaduais e locais", afirmou o presidente norte-americano.

Na sexta-feira, Hilary transformou-se rapidamente num furacão de categoria 4, extremamente perigoso, com ventos máximos sustentados de 230 quilómetros por hora. Os seus ventos caíram depois no início de sábado para 185 quilómetros por hora, baixando para a categoria 3, antes de enfraquecer ainda mais para ventos de 161 quilómetros por hora, como um furacão de categoria 2, que agora já não é sequer um furacão.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados