Estas são as melhores séries de TV de 2023 (até agora)

CNN , Brian Lowry
12 set, 10:00
Séries TV em streaming (ver identificação e créditos na foto)

Brian Lowry, redator sénior da CNN que escreve desde o streaming de TV a notícias sobre cinema, escolhe as melhores novas séries deste ano. Desde “The Last of Us” até “Beef”.

A televisão de 2023 até agora foi definida principalmente pelo regresso de séries e, particularmente, pela despedida de vários programas de assinatura, incluindo os finais de "Sucession", "Barry", "A Maravilhosa Sra. Maisel" e "Ted Lasso" (pelo menos, como atualmente as conhecemos).

A primeira metade do ano produziu algumas séries de televisão memoráveis numa grande variedade de géneros, desde dramas e comédias a séries limitadas, séries documentais e o híbrido de comédia e realidade difícil de categorizar "Jury Duty", um projeto que ajudou a colocar no mapa o canal Freevee da Amazon, que de outra forma seria pouco falado.

Fazendo um inventário até ao fim do primeiro semestre, aqui estão outros destaques, apresentados por ordem de estreia. Indicativo dos tempos que vivemos, algumas das entradas são suficientemente semelhantes para serem logicamente emparelhadas, com base na data de estreia da primeira.

No geral, não é um grupo mau, mas Hollywood precisa de melhorar o seu jogo se quiser que este seja recordado como um ano televisivo de primeira categoria, tanto para os recém-chegados como para a sua turma de finalistas, com este grande asterisco: se a greve do Writers Guild of America contra os estúdios persistir por muito mais tempo, poderá apertar significativamente a torneira das séries com guião até à segunda metade de 2023:

"The Last of Us" (HBO)

Bella Ramsey e Storm Reid no episódio 7 de "The Last of Us" Liane Hentscher/HBO

É a nova série do ano até agora, certamente em termos de buzz mediático, mas também no seu drama e pathos adaptando o jogo a uma série que trouxe uma profundidade inesperada ao conceito de um mundo devastado por zombies. A série correspondeu de forma impressionante às expectativas, ancorada pela dupla central de Pedro Pascal e Bella Ramsey.

'Shrinking' (Apple TV+)

Jason Segel e Harrison Ford em "Shrinking". Apple TV+

A equipe de "Ted Lasso" entregou outro vencedor com esta comédia sobre um terapeuta de luto (Jason Segel) e o círculo estendido em torno dele, um conjunto de primeira linha que incluiu um excelente papel secundário de Harrison Ford como o seu colega rude.

"Bill Russell: Uma Lenda da NBA" (Netflix) e "The Luckiest Guy in the World" (ESPN)

Bill Russell em 'Bill Russell: Legend". Cortesia Netflix

Um par de docuseries (séries documentais) fornece informações sobre dois dos maiores jogadores que o basquetebol já produziu, narrando a combinação de proezas atléticas e ativismo da falecida estrela do Celtics e a jornada atormentada por lesões de Bill Walton (que também incluiu um campeonato com o Celtics) do campo para a cabine de transmissão.

Outra lenda da NBA, Wilt Chamberlain, terá a sua própria série documental, "Goliath", no Showtime, enquanto a Apple dedicará um documentário ao atual jogador Stephen Curry uma semana mais tarde. Assim, para os fãs do basquetebol, os êxitos continuam a chegar.

"Daisy Jones & the Six" (Amazon Prime Video)

Riley Keough como Daisy Jones em "Daisy Jones & the Six". Prime Video/Youtube

Basicamente, é uma novela à moda antiga, com ambiente no mundo da música na década de 1970. A adaptação apresenta a ascensão e queda de uma banda muito parecida com os Fleetwood Mac, lançada no caos intramural e no aumento da criatividade, em igual medida, graças ao seu novo vocalista (Riley Keough, demonstrando que a neta de Elvis Presley também pode cantar).

"Swarm" (Prime Video)

Dominique Fishback em 'Swarm'. Prime Video

Produzida por Donald Glover e Janine Nabers, recém-saídos do final de "Atlanta", esta série limitada ofereceu um exame imperfeito, mas fascinante, do fandom excessivo, capturado pelo retrato de Dominique Fishback de um personagem cuja obsessão por sua estrela musical favorita gradualmente a leva a um caminho muito violento.

"O Agente da Noite" (Netflix) e "Sequestro no Ar/Hijack" (Apple TV+)

Luciane Buchanan como Rose Larkin, Gabriel Basso como Peter Sutherland no episódio 'The Night Agent'. Netflix

Dois thriller de regresso ao modo "24", o primeiro centrado num agente do FBI (Gabriel Basso) que procura desvendar uma enorme ameaça terrorista que chega até à Casa Branca, e o segundo um drama em tempo real com Idris Elba como um hábil negociador que, por acaso, é a pessoa certa para ter a bordo de um voo desviado com destino a Londres.

"Rixa/Beef" (Netflix)

Steven Yeun e Ali Wong na série da Netflix "Beef". Cortesia da Netflix

É o segundo classificado, a seguir "The Last of Us", entre as ofertas mais memoráveis e viciantes do ano. A série apresenta Ali Wong e Steven Yeun como um par de estranhos cujo encontro na estrada desencadeia toda uma série de consequências não intencionais sombriamente engraçadas e ocasionalmente trágicas.

"Uma Pequena Luz" (NatGeo/Disney+)

Margot Frank, interpretada por Ashley Brooke, e Miep Gies, interpretada por Bel Powley em "A Small Light". Dusan Martincek/National Geographic para a Disney

Uma série limitada, discreta mas devastadora, sobre a família de Anne Frank e as pessoas que a protegeram dos nazis, com Bel Powley no papel de Miep Gies, a heroína improvável que encontrou reservatórios de coragem que não sabia possuir; e Liev Schreiber como o seu patrão, Otto Frank, que a recruta para ajudar a esconder a sua família.

Séries

Mais Séries

Patrocinados