Sporting-Genk, 1-1 (crónica)

Pedro Lemos , Estádio Algarve
19 jul 2023, 22:30

Trincão ficou a centímetros da vitória nos descontos

Um bom início de jogo, uma segunda parte competente e um jovem, chamado Afonso Moreira, a ter em atenção.

Assim se resume, numa frase, o primeiro jogo de pré-época mais a sério que o Sporting disputou hoje frente aos belgas do Genk, no Estádio Algarve.

Apesar de não haver reforços no 11 inicial, não deixou de haver novidades do lado do Sporting que, de resto, já tinha feito um jogo de manhã frente ao Farense. Os primeiros minutos permitiram ver novas nuances táticas para os leões.

A atacar, mantinha-se o tradicional 3x5x2 de Amorim, mas a defender o Sporting apresentava-se em 4x4x2, com Eduardo Quaresma na direita, Coates e Inácio no meio e Matheus Reis na esquerda.

Na manobra ofensiva, outra novidade: Inácio juntava-se a Morita no meio-campo.

Os leões começaram bem, aguerridos, e com o jovem Afonso Moreira – talvez a maior novidade no 11, a par de Quaresma – a mostrar qualidade.

Chermiti era outro dos jogadores em evidência e foi mesmo dos pés do avançado que saiu a assistência para o primeiro do jogo. Trincão, junto à marca de penálti, só teve de encostar (11 minutos).

O Sporting parecia embalado, mas um erro na reposição, entre Matheus Reis e Franco Israel, permitiu ao Genk empatar na primeira oportunidade, logo aos 17m.

Os leões sentiram o golo e nunca mais voltaram a ter esse domínio inicial. Apareceram os passes falhados, alguma insegurança, e o jogo foi empatado para o intervalo.

No segundo tempo, o Sporting voltou a aparecer melhor: Amorim apenas lançou Bragança no lugar de Morita e manteve a base da equipa.

Trincão, um dos melhores dos leões a par de Afonso Moreira, teve duas boas chances para marcar quase de seguida.

A última, aos 60 minutos, obrigou mesmo o guarda-redes do Genk a fazer a defesa da noite: o remate do extremo português, à entrada da área, levava selo de golo.

O técnico leonino ainda lançou Jovane para os últimos minutos, mas até seria Afonso Moreira a ter a melhor oportunidade para marcar.

Aos 85m, o jovem extremo fletiu para dentro e rematou à entrada da área. A bola passou muito perto da trave.

O final do jogo foi eletrizante. Se, aos 88m, numa jogada de contra-ataque, Paintsil rematou em jeito à barra da baliza do Sporting, aos 90m foi Trincão a ter uma ocasião soberana.

Isolado por Jovane, o extremo vacilou só com o guarda-redes pela frente. O remate saiu ao lado, para desespero dos adeptos leoninos.

O placard não havia de mexer mais - o Sporting empatou e saiu deste jogo com alguns bons indicadores, mas também a certeza de que ainda tem muito trabalho a fazer.

Relacionados

Sporting

Mais Sporting

Patrocinados