Síria: ataque com drone a academia militar em Homs faz pelo menos 60 mortos

Agência Lusa , PP (atualizado 19:24)
5 out 2023, 16:49
Síria

De acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, há, entre os mortos causados pela forte explosão, pelo menos nove civis e, entre os feridos, há dezenas em estado crítico

Mais de 60 soldados sírios foram mortos e quase 120 ficaram feridos num ataque realizado hoje com um drone contra uma academia militar na cidade síria de Homs, anunciou o Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

A organização, com sede em Londres e ativistas no país árabe, indicou que o ataque foi perpetrado durante uma cerimónia de formatura, em que estava presente o ministro da Defesa, Ali Mahmoud Abbas, ponto que não foi, no entanto, confirmado pelas autoridades sírias.

De acordo com o observatório, há, entre os mortos causados pela forte explosão, pelo menos nove civis e, entre os feridos, há dezenas em estado crítico.

Todas as vítimas foram transferidas para os hospitais locais.

Informações preliminares indicavam que tinham sido mortos sete militares e havia cerca de 20 feridos no ataque, realizado logo no final da cerimónia dos cadetes.

Por sua vez, as Forças Armadas sírias confirmaram que o ataque causou “vários mártires” e “dezenas de feridos”, sem que tenha sido feita, até ao momento, qualquer reivindicação de responsabilidade, segundo um comunicado publicado pelo Ministério do Interior sírio na rede social Facebook.

“Numa continuação da sua postura criminosa e do derramamento de sangue sírio, organizações terroristas apoiadas por atores internacionais bem conhecidos atacaram uma cerimónia de formatura numa academia militar em Homs”, referiu a entidade na mensagem divulgada.

As instalações, segundo especificou a mesma fonte, foram atacadas com “drones que transportavam explosivos”, num “ato terrorista cobarde, sem precedentes”, que deixou vários civis feridos “em estado crítico”, pelo que não está descartado que o saldo de mortes aumente nas próximas horas.

“Responderemos com toda a nossa força e determinação a estas organizações terroristas, onde quer que estejam, e enfatizamos que quem planeou e executou este ato criminoso será responsabilizado e pagará um preço elevado”, concluiu a mensagem das Forças Armadas sírias.

Síria: Guterres "profundamente preocupado" com novos ataques sangrentos

O secretário-geral das Nações Unidas (ONU), António Guterres, manifestou hoje a sua "profunda preocupação" com o que classificou de "bombardeamentos de retaliação" em diferentes partes da Síria, como aquele que hoje matou cerca de 70 pessoas, noticiou a EFE.

Guterres aludia, entre outros, ao ataque a uma academia militar em Homs, oeste da Síria, que causou cerca de 70 mortos. O ataque com drones visou uma cerimónia de graduação na escola militar de Homs, tornando-se num dos ataques mais mortíferos contra as forças governamentais nos últimos anos, sendo os seus autores ainda desconhecidos.

Na sua declaração, Guterres disse condenar toda a violência na Síria e instou "todas as partes a respeitarem as suas obrigações ao abrigo do direito humanitário", insistindo que "um cessar-fogo é essencial para um processo político significativo".

Mundo

Mais Mundo

Mais Lidas

Patrocinados