Oficial da GNR condenado a cinco anos de prisão no caso "Red Man"

CNN Portugal , AM/CRM com Lusa
15 nov, 11:37
Justiça

Tribunal considerou que João Semedo atuou com "violência absolutamente desnecessária”

O oficial da GNR João Semedo foi condenado a uma pena única de cinco anos de prisão, suspensa por igual período, por seis crimes de abuso de autoridade por ofensa à integridade física no processo “Red Man” (curso de formação da GNR).

O arguido foi ainda condenado a pagar uma indemnização de dois mil euros a um dos formandos agredidos, anunciou o juiz presidente do coletivo que julgou o caso, João Rodrigues, na leitura do acórdão.

O tribunal considerou que João Semedo atuou “com violência absolutamente desnecessária”, causando lesões, ferimentos e fraturas aos formandos na prova “Red Man”, sabendo que essa conduta era proibida.

"Agiu com consciência e vontade de molestar o corpo dos subordinados", considerou o tribunal, acrescentando que o arguido "aparenta distanciamento e défice na expressão de empatia".

Considerou ainda que o instrutor da prova “Red Man” atuou de forma culposa e com desprezo pela integridade física dos formandos e que não houve razão pedagógica para as atitudes do arguido.

“Tem regras, não vale tudo”, afirmou o juiz.

Os factos em causa neste processo remontam a 2018, altura em que no módulo de formação “Red Man”, que pretende simular agressões aos guardas da GNR e avaliar a sua reação a essas ameaças, alguns dos instruendos foram agredidos e atingidos em zonas sensíveis pelo então instrutor da GNR, o que lhes causou lesões, ferimentos e em alguns casos até necessidade de internamento hospitalar.

 

País

Mais País

Patrocinados