Saiba tudo sobre o Euro aqui

Um ano da morte de Isabel II. É fã da história da rainha? Estes são os locais que não pode perder em Londres

6 set 2023, 10:00
Rainha Isabel II

Um ano depois do Reino Unido se ter despedido da rainha Isabel II, não há quem passe pelo Palácio de Buckingham sem se lembrar que, durante 70 anos, a “dona da casa” foi Elizabeth Alexandra Mary. No entanto, não é só o imponente palácio no centro de Londres que faz lembrar a monarca que morreu a 8 de setembro de 2022 em Balmoral e, por isso, reunimos neste guia os locais mais emblemáticos 

1. Palácio de Buckingham

O Palácio de Buckingham, no centro de Londres, foi uma das residências oficiais da rainha Isabel II. Ao longo de 70 anos, se a bandeira da União estivesse hasteada no exterior, significava que a rainha estava ausente, enquanto a presença da bandeira vermelha, azul e amarela do Estandarte Real indicava que Isabel II estava em casa. Apesar de ser a residência da rainha Isabel II, os turistas podiam visitar o interior do palácio durante certas alturas do ano e passear pelos jardins. No entanto, mesmo fechado aos visitantes, o local atrai centenas de visitantes.

2. Abadia de Westminster

Local onde são realizados os mais variados eventos reais, a Abadia de Westminster foi palco de 16 casamentos reais, tendo sido Henry I e Matilde da Escócia o primeiro casal real a contrair matrimónio no templo, em 1100. Também a rainha Isabel II e o duque de Edimburgo ali casaram em 1947.

As cerimónias anuais incluem ainda um serviço de ação de graças pela vitória na Batalha da Grã-Bretanha em 1940, uma cerimónia para os juízes no início do ano judicial e uma cerimónia para assinalar o Dia da Commonwealth.

Em 2022, foi palco para a exposição "Life Through a Royal Lens" que exibiu algumas das imagens mais emblemáticas de sempre da família real.

3. Palácio de Kensington

Local de nascimento da rainha Vitória, foi no palácio de Kensington que a irmã da Rainha, a princesa Margarida, e filho, o rei Carlos III, viveram em tempos.

Atualmente, é a residência oficial dos príncipes de Gales, sendo que o duque e a duquesa de Gloucester, o duque e a duquesa de Kent e o príncipe e a princesa Michael de Kent também estão instalados nos apartamentos reais do palácio.

4. Catedral de São Paulo

A Catedral de São Paulo é outro dos locais escolhido pela família real para várias celebrações como a missa de "Ação de Graças", o Jubileu de Prata, em 1977, o Jubileu de Ouro, em 2002, o Jubileu de Diamante, em 2012 e o Jubileu de Platina, em 2022.

Também o casamento do príncipe Carlos e de Diana Spencer, em 1981, teve lugar na catedral de São Paulo.

5. Palácio de Westminster

Uma vez por ano, a rainha marcava presença no Palácio de Westminster para abrir a sessão do ano. Nesse dia, era utilizada a Coroa Imperial do Estado e seguido um guião histórico, onde a monarca entrava pela "Entrada do Soberano", uma porta especial sob a Torre Vitória. A Rainha Isabel só faltou a três aberturas de Estado do Parlamento (duas quando foi mãe e outra em maio de 2022, altura em que foi substituída pelo filho).

Os turistas podem visitar o Palácio do Westminster, onde podem ver o trono na Câmara dos Lordes a partir do qual a rainha Isabel II abria as sessões. 

6. Castelo de Windsor

Apenas a 30 minutos a oeste de Londres, o Castelo de Windsor, era outra das residências oficiais da rainha Isabel II, Durante a II Guerra Mundial, foi ali que a monarca passou algum tempo isolada. Nos últimos anos, ao lado do duque de Edimburgo, escolheu Windsor para passar cada vez mais tempo e, durante a pandemia, foi lá que se isolou. Foi também ali que se despediu do marido, em abril de 2021, depois de 74 anos de casamento.

No site oficial da Royal Colection Trust pode ler-se que "o Castelo de Windsor é o maior e mais antigo castelo ocupado do mundo" e que foi "fundado por Guilherme, o Conquistador, no século XI", tendo sido "desde então a residência de 40 monarcas".

É também em Windsor que fica a Capela de São Jorge, que foi acrescentada ao Castelo no século XIII. O local foi palco de vários casamentos reais - como foi o caso dos duques de Sussex - mas é também onde estão sepultados os avós, os pais, a irmã, o marido e a própria rainha Isabel II.

Está aberto aos visitantes durante todo o ano. 

7. Memorial à rainha Isabel II

A partir de 2026, Londres contará com mais um ponto de interesse para os amantes da coroa e fãs da rainha Isabel II. No dia 3 de setembro, o governo britânico anunciou que foi criado um comité conjunto - que envolve o governo do Reino Unido e a Casa Real - para a elaboração de propostas para um memorial permanente em honra da rainha Isabel II.

Em comunicado, governo do Reino Unido confirmou que "apoiará as propostas e considerará as opções de financiamento à medida que as propostas forem sendo desenvolvidas" sendo que o comité, que é presidido pelo antigo secretário privado da rainha Isabel II Lord Janvrin, "terá em conta a vida de serviço público de Sua Majestade durante o seu longo reinado e as causas que apoiou".

"Os planos serão revelados para coincidir com o que teria sido o ano do centésimo aniversário de Sua Majestade, em 2026", lê-se ainda na nota.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Mais Lidas

Patrocinados