Alexandre Poço. Afinal, o candidato das meias laranja não vai “dar tudo por Oeiras”

6 jan, 17:24
Alexandre Poço
Alexandre Poço

O presidente da JSD assegura que nunca quis funções executivas na autarquia de Isaltino Morais. E por isso terminou, cerca de quatro meses depois, a “relação séria com Oeiras”.

PUB

Vestiu meias laranjas num cartaz com pose à James Bond, saltou de um avião e até gravou vídeos com cachorrinhos para tornar a campanha viral nas redes sociais. Com um lema que ficava no ouvido, Alexandre Poço prometeu “dar tudo por Oeiras”.

No Tinder - uma rede social de encontros onde, pela primeira vez, um político português fez campanha – dizia estar “à procura uma relação séria com Oeiras”. Mas, cerca de quatro meses depois das últimas eleições autárquicas, vai abdicar do cargo de vereador na autarquia liderada por Isaltino Morais.

PUB

“A concelhia do PSD Oeiras decidiu aceitar pelouros por parte do presidente da câmara municipal. Em consequência dessa decisão, devolvi o meu mandato ao partido. Estive a exercer as funções de vereador sem pelouros”, confirma Alexandre Poço à CNN Portugal, sem querer entrar em mais detalhes.

O também presidente da Juventude Social-Democrata (JSD) era o único vereador laranja em Oeiras. Isaltino Morais, que também esteve ligado ao partido e concorreu como independente, assegurou oito lugares. O PS e a coligação liderada pelo Bloco de Esquerda têm, cada um, outro vereador.

PUB
PUB
PUB

Ao longo dos últimos anos à frente de Oeiras, Isaltino Morais tem optado por entregar pelouros a outros partidos – e, naturalmente, ao PSD, o partido que chegou a representar. Só que, sabe a CNN Portugal, Alexandre Poço já tinha decidido, a título pessoal, que nunca assumiria funções executivas na autarquia, rejeitando eventuais pelouros.

A oposição, através da Juventude Socialista de Oeiras, já veio criticar a decisão, argumentando que as novas gerações de políticos devem dar “o exemplo” e fazer “política de forma diferente”.

“Se Alexandre Poço não queria ser vereador, não tinha sido candidato. Poupava Oeiras a uma candidatura eleitoralista e imoral”, escreve a estrutura.

Concelhia diz que fará "melhor" estando no executivo

A concelhia de Oeiras do PSD confirmou, também nas redes sociais, que “decidiu aceitar os pelouros” que Isaltino Morais quer delegar nos sociais-democratas.

À CNN Portugal, o presidente da concelhia, André Cunha, explica que a estrutura, “na sequência do que tem sido feito nos últimos anos, acredita que esta é uma forma de conseguirmos trabalhar melhor em prol dos oeirenses. Acreditamos que podemos fazer um trabalho ainda melhor estando no executivo”.

PUB
PUB
PUB

Já quanto à relação com o vereador demissionário, André Cunha assegura que “não há tema nenhum com Alexandre Poço. Antes pelo contrário. Estamos alinhadíssimos [na estratégia a tomar]”. Foi, insiste, apenas a decisão pessoal do líder da JSD a ditar a saída.

Na ordem de sucessão para ocupar o lugar vago está Gonçalo Costa, ex-líder da concelhia, que “ainda não tem a certeza” de que poderá assumir as funções. O terceiro lugar é ocupado por Susana Duarte, ex-líder da JSD em Oeiras.

 

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Partidos

Mais Partidos

Patrocinados