Prisão domiciliária para jovem suspeito de 3.816 crimes de pornografia de menores

Agência Lusa , CE
9 nov, 14:53
Trabalho

Há suspeitas de que partilhava o respetivo conteúdo com terceiros, através da rede social Telegram

Um jovem de 27 anos, de Coimbra, está indiciado da prática de 3.816 crimes de pornografia de menores e é suspeito de partilhar o conteúdo a partir da aplicação Telegram, afirmou o Ministério Público.

Numa nota publicada no seu sítio na internet, o Ministério Público (MP) de Coimbra revelou que o jovem foi apresentado a primeiro interrogatório judicial na terça-feira e que está indiciado de 3.816 crimes – um crime para cada ficheiro que continha pornografia de menores.

O MP realçou que, na segunda-feira, o arguido tinha, no computador portátil que utilizava, 3.816 ficheiros com pornografia de menores.

Há suspeitas de que partilhava o respetivo conteúdo com terceiros, através da rede social Telegram.

No primeiro interrogatório judicial, a juíza de instrução determinou a prisão domiciliária do jovem, que ficou também proibido de utilizar dispositivos eletrónicos com acesso à internet até ser julgado.

Segundo o MP de Coimbra, o arguido já tinha sido condenado em 2019 pela prática de um crime de natureza sexual.

A investigação é dirigida pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Coimbra, coadjuvada pela Diretoria do Centro da PJ.

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados