Finlândia admite pela primeira vez a adesão à NATO sem a Suécia

Agência Lusa , AM
24 jan, 08:53
Pekka Haavisto, ministro dos Negócios Estrangeiros da Finlândia (AP)

No entanto, o ministro dos Negócios Estrangeiros adiantou que "ainda é demasiado cedo para se tomar uma posição"

A Finlândia deve considerar a hipótese de aderir à NATO sem a Suécia, disse esta terça-feira o ministro dos Negócios Estrangeiros finlandês Pekka Haavisto depois de o presidente da Turquia ter excluído o apoio de Ancara à candidatura sueca.

A adesão conjunta dos dois países nórdicos é a "primeira opção", mas "nós devemos avaliar a situação" caso "alguma coisa venha a impedir a Suécia de avançar", disse o chefe da diplomacia finlandesa à televisão pública Yle, da Finlândia. 

Mesmo assim, o ministro dos Negócios Estrangeiros adiantou que "ainda é demasiado cedo para se tomar uma posição".

Trata-se da primeira vez que Helsínquia admite uma nova forma de adesão à Aliança Atlântica, sem a Suécia.

Na sequência da nova invasão da Ucrânia pelas forças russas, a Suécia e a Finlândia pediram a adesão à NATO, mas a Turquia, país aliado, exige condições para não vetar a decisão.

Ancara pede, sobretudo, uma nova posição dos dois países face aos refugiados curdos exilados na Suécia e na Finlândia e que são considerados "terroristas" pelo governo turco. 

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados