Parlamento Europeu apoia rótulo "verde" para gás natural e energia nuclear

6 jul, 11:48
Central Nuclear de Cofrentes

Órgão rejeitou uma moção para se opor à inclusão da energia nuclear e do gás como atividades económicas ambientalmente sustentáveis

O Parlamento Europeu deu luz verde esta quarta-feira a uma lei da União Europeia que rotula os investimentos e centrais de gás e energia nuclear como sustentáveis.

Em causa está a proposta da Comissão Europeia de adicionar as centrais de gás e a energia nuclear à "taxonomia" da União Europeia - uma lista de atividades económicas que os investidores podem rotular e comercializar como "verdes" na União Europeia.

"Uma vez que a Comissão acredita que o investimento privado em gás e atividades nucleares tem um papel na transição verde, propôs a classificação de certas atividades de gás fóssil e energia nuclear como atividades transitórias que contribuem para a mitigação das alterações climáticas. A inclusão de determinadas atividades de gás e nucleares é limitada no tempo e depende de condições específicas e requisitos de transparência", refere o Parlamento Europeu, em comunicado. 

Antes de passar no Parlamento Europeu, esta medida expôs profundas divergências entre os países sobre como combater as alterações climáticas.

Com esta taxonomia, a UE pretende esclarecer o mundo obscuro do investimento sustentável, garantindo que todos os produtos financeiros que fazem declarações ecológicas sigam padrões rígidos.

"Não haverá lavagem verde", reiterou Mairead McGuinness, chefe de serviços financeiros da UE, na terça-feira.

A associação ambientalista Zero apelou no domingo para que os eurodeputados portugueses votassem contra a proposta que quer classificar o gás fóssil e o nuclear como energias verdes, insistindo nas renováveis como modelo preferencial de independência energética.

 

 

Clima

Mais Clima

Patrocinados