Há 98 mil menores que ficaram órfãos de pelo menos um dos pais ou cuidadores devido à covid-19 no Peru

7 jan, 16:55
Trabalhador cava uma sepultura num cemitério em Iquitos, no Peru. Mais de 200 mil peruanos perderam a vida por causa da covid-19. Foto: Rodrigo Abd/AP
Trabalhador cava uma sepultura num cemitério em Iquitos, no Peru. Mais de 200 mil peruanos perderam a vida por causa da covid-19. Foto: Rodrigo Abd/AP

"É um triste recorde sermos o país com o maior número de crianças que perderam os pais", lamentou a ministra da Mulher e Populações Vulneráveis do Peru

PUB

Há quase 98 mil menores órfãos de pai, mãe ou cuidador primário no Peru desde o início da pandemia, de acordo com informação avançada esta quinta-feira pelo governo peruano.

A informação foi avançada pela The Lancet e datam de 31 de julho de 2021.

PUB

A ministra da Mulher e Populações Vulneráveis do Peru, Anahí Durand, avançou que aquele ministério distribui uma pensão de cerca de 44 euros a cada dois meses, que ajuda mais de 18 mil famílias. 

"É um triste recorde sermos o país com o maior número de crianças que perderam os pais", lamentou.

Os dados apresentados pela revista dão conta que o Peru é o país com maior taxa de mortalidade de cuidadores primários, seguindo-se a África do Sul, o México, o Brasil, a Colômbia, o Irão, os EUA, a Argentina e a Rússia.

A nível global, de 1 de março de 2020 a 30 de abril de 2021, estima-se que 1.134.000 crianças tenham ficado orfãs dos cuidadores primários (incluindo pelo menos um dos pais ou avós).

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados