Relatos de OVNIS eram afinal "objetos e fenómenos comuns", conclui estudo do Pentágono

Agência Lusa , BCE
8 mar, 22:38
Scott Bray, vice-diretor de Inteligência Naval dos EUA, mostra um vídeo sobre um "fenómeno aéreo não identificado" (JIM LO SCALZO/ EPA via Lusa)

As autoridades americanas têm-se esforçado por encontrar respostas para os relatos de avistamentos de ÓVNIS ao longo dos anos, mas até agora não identificaram nenhuma prova real de vida extraterrestre

Um estudo do Pentágono (sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos) divulgado esta sexta-feira, que examinou os relatos de avistamentos de OVNIS ao longo de quase todo o século passado, não encontrou evidências de alienígenas ou inteligência extraterrestre.

As conclusões são consistentes com os esforços anteriores do Governo dos Estados Unidos (EUA) para avaliar a precisão dos supostos avistamentos que cativaram a atenção do público durante décadas.

O estudo, do Gabinete de Resolução de Anomalias de Todos os Domínios (AARO, na sigla original) do Departamento de Defesa, analisou as investigações do Governo dos EUA desde 1945 sobre relatos de avistamentos de fenómenos anómalos não identificados, mais popularmente conhecidos como ÓVNIS – Objetos Voadores Não Identificados.

E não encontrou provas de que qualquer um deles fosse sinal de vida extraterrestre, ou que o governo dos EUA e empresas privadas tivessem feito engenharia reversa (desconstruir algo para perceber como funciona) de tecnologia extraterrestre e a estivessem a esconder.

"Todos os esforços de investigação, a todos os níveis de classificação, concluíram que a maioria dos avistamentos eram objetos e fenómenos comuns e o resultado de erros de identificação", diz o relatório, que foi encomendado pelo Congresso. Outro volume do relatório, centrado em investigações mais recentes, será publicado mais tarde.

As autoridades americanas têm-se esforçado por encontrar respostas para os relatos de avistamentos de ÓVNIS ao longo dos anos, mas até agora não identificaram nenhuma prova real de vida extraterrestre. Um relatório governamental de 2021, que analisou 144 avistamentos de aviões ou outros aparelhos que aparentemente voavam a velocidades ou trajetórias misteriosas, não encontrou ligações extraterrestres.

A questão recebeu nova atenção no verão passado, quando um oficial aposentado dos serviços secretos da Força Aérea testemunhou ao Congresso que os EUA estavam a esconder um programa de longa data que recupera e faz engenharia reversa de objetos voadores não identificados.

O Pentágono negou as suas afirmações e disse, no final de 2022, que um novo gabinete do Pentágono criado para seguir os relatos de objetos voadores não identificados - o mesmo que divulgou hoje o relatório - tinha recebido "várias centenas" de novos relatos, mas não tinha encontrado, até agora, provas de vida extraterrestre.

Os autores do relatório divulgado esta sexta-feira afirmaram que o objetivo era aplicar uma análise científica rigorosa a um assunto que há muito capta a imaginação do público americano.

"A AARO reconhece que muitas pessoas têm sinceramente versões destas crenças que se baseiam na sua perceção de experiências passadas, nas experiências de outros em quem confiam, ou nos meios de comunicação social e nos meios online que acreditam ser fontes de informação credível e verificável", diz o relatório.

Segundo o documento a proliferação de programas de televisão, livros, filmes e a vasta quantidade de conteúdos na Internet e nas redes sociais centrados no tema também poderá ter reforçado essas crenças.

Relacionados

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados