Mais de 200 mafiosos condenados, 2.200 anos de sentença e um bunker como tribunal: foi assim um dos maiores julgamentos de sempre da máfia

CNN , Barbie Latza Nadeau
21 nov 2023, 13:08
Os juízes proferem o veredito no chamado julgamento Rinascita Scott contra alegados membros da máfia 'Ndrangheta na Calábria, a 20 de novembro de 2023. Gianluca Chininea/AFP/Getty Images

Entre os arguidos havia 42 mulheres - um recorde para um julgamento da máfia - das quais 39 foram condenadas. Os mafiosos eram membros do famoso grupo criminoso italiano 'Nrangheta e foram condenados por associação mafiosa, extorsão, suborno e cinco homicídios

Um tribunal italiano condenou mais de 200 mafiosos a um total de 2.200 anos de prisão, na sequência do maior julgamento da máfia em três décadas.

Durante o julgamento, que teve início em janeiro de 2021 e decorreu num bunker construído para o efeito na cidade de Lamezia Terme, no sul de Itália, mais de 400 advogados representaram os arguidos e cerca de 900 testemunhas prestaram depoimento.

Um painel de três juízes, que deliberou sobre o destino dos 338 acusados desde que o julgamento terminou em 16 de outubro, proferiu o seu veredito na segunda-feira. O tribunal demorou uma hora e 40 minutos a proferir as suas decisões, informou a agência noticiosa italiana Ansa.

Cerca de 207 mafiosos foram presos e mais de 100 absolvidos. O total das penas de prisão inclui cinco penas de prisão perpétua e três penas de 30 anos.

Entre os arguidos havia 42 mulheres - um recorde para um julgamento da máfia - das quais 39 foram condenadas.

Muitas das arguidas tinham alcunhas  - como "O lobo", "Gorda", "Fofinha" e "Perna de borrego" - e foram apanhadas em cerca de 24.000 escutas telefónicas, de acordo com os testemunhos apresentados durante o julgamento.

Os condenados incluem o antigo representante da Forza Italia Giancarlo Pittelli; o ex-chefe da polícia Giorgio Naselli; o ex-militar da guarda fiscal Michele Marinaro; o ex-presidente da câmara Gianluca Callipo; e os ex-conselheiros regionais Luigi Incarnato e Pietro Giamborino, de acordo com o documento de sentença visto pela CNN.

O julgamento teve lugar num bunker especialmente construído para o efeito em Lamezia Temre, no sul de Itália, devido a preocupações de segurança. Valeria Ferraro/AP

Os mafiosos eram membros do famoso grupo criminoso italiano 'Nrangheta e foram condenados por associação mafiosa, extorsão, suborno e cinco homicídios.

O julgamento foi designado por "Rinascita Scott", em homenagem ao agente especial americano Scott W. Sieben, a quem se atribui a descoberta das ligações entre os cartéis colombianos e a 'Nrangheta.

Com sede na região da Calábria, no sul de Itália, a 'Ndrangheta é considerada o grupo mafioso mais poderoso do país e uma das empresas criminosas mais poderosas do mundo, com milhares de membros e filiados em todo o mundo, de acordo com a DIA (Direção Anti-Máfia) italiana. Segundo a Europol, o grupo detém o monopólio do tráfico de droga na Europa.

Os três juízes viveram sob proteção policial durante o julgamento, que durou dois anos e dez meses.

*Christian Edwards contribuiu para este artigo

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados