Marinha britânica está a seguir de perto navio russo com mísseis Zircon

12 jan, 16:56
Navio almirante Gorshkov (Ministério da Defesa da Rússia/AP)

Rota do navio indica que deve passar pela costa portuguesa

A Marinha Real do Reino Unido está a acompanhar a trajetória da fragata russa Admiral Gorshkov, um navio equipado com mísseis hipersónicos do tipo Zircon, que são capazes de alcançar alvos a mais de mil quilómetros.

De acordo com um comunicado emitido esta quarta-feira, a marinha britânica colocou na missão o navio HMS Portland, que segue a curta distância o percurso da fragata russa, atualmente no Mar do Norte, ao largo do Reino Unido.

O Gorshkov saiu na semana passada do porto de Severomorsk, que tem caminho livre para o Oceano Ártico, e foi imediatamente rastreado pela Noruega, que colocou a guarda costeira a acompanhar as movimentações. A rota oficial indica que a fragata se dirige até ao mar Mediterrâneo e ao Oceano Índico para participar em manobras navais, mas as autoridades russas não adiantaram mais detalhes. A confirmar-se a rota significa que o mesmo navio terá de passar ao largo da costa portuguesa, nomeadamente no Algarve, para entrar no Mediterrâneo.

O HMS Portland acabou por sair do porto de Plymouth a 7 de janeiro precisamente com a missão de seguir o navio russo, que além de mísseis Zircon tem ainda mísseis Kalibr, capazes de se deslocar a cerca de 11 mil quilómetros por hora, e que têm capacidade para atingir território europeu a partir do mar alto.

De resto, os mísseis Zircon parecem ser uma das grandes esperanças da marinha russa. Ainda em 2022 o presidente da Rússia, Vladimir Putin, falou daquela arma como praticamente “imparável”, acrescentando que “não tem par em nenhum outro país”.

“Estou seguro de que armas tão poderosas vão proteger a Rússia de ameaças externas e que ajudarão a garantir os interesses do nosso país”, acrescentou.

A presença de navios russos ao redor do Reino Unido tem sido comum nos últimos anos, mas a deslocação de uma fragata com esta capacidade militar, numa altura em que a Rússia está em clima de grande tensão com o Ocidente, colocou Londres em alerta.

“Mantendo uma presença constante e persistente nas nossas águas asseguramos o cumprimento do direito marítimo e o efeito dissuasor perante qualquer atividade prejudicial aos interesses da nossa nação”, pode ler-se num comunicado do HMS Portland, que lembra que a escolta de navios russos, em colaboração com a NATO, mostra a força da aliança.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Mais Lidas

Patrocinados