Ladrões devolvem relógio à vítima depois de se aperceberem que era falso (com vídeo)

CNN , Julia Buckley
23 jul, 10:37
Nápoles. Foto: Salvatore Laporta/KONTROLAB/LightRocket via Getty Images

Dizem que a hospitalidade em Nápoles é inigualável, e um turista teve uma experiência singular da cidade italiana quando os ladrões lhe roubaram o relógio à mão armada - e depois trouxeram-no de volta quando perceberam que era falso.

Dois turistas suíços sentados para uma bebida pouco antes da meia-noite de domingo na Piazza Trieste e Trento, uma das principais praças da cidade, foram abordados por um jovem, que puxou de uma arma e a apontou à cabeça de um dos homens, antes de pegar no seu relógio e sair a pé.

Sete minutos depois, outro jovem atravessou a esplanada do café, levantando as mãos num gesto de desculpas, pedindo desculpa, e depois entregou o relógio de volta ao seu dono.

As filmagens extraordinárias foram captadas na videovigilância do bar onde estavam sentados, o Monidee Café.

A Piazza Trieste e Trento está no coração de Nápoles, com o Palácio Real, a Ópera e o Teatro San Carlo. A movimentada praça é conhecida pelos seus cafés e bares, com turistas a afluir ao histórico Gran Caffe Gambrinus.

Nápoles há muito que luta com a sua reputação, e enquanto o turismo está em plena expansão, uma série de roubos de relógios este Verão levou a que um chefe de turismo sugerisse que os hotéis distribuíssem relógios de plástico para os visitantes utilizarem.

Nas filmagens, dois turistas suíços do sexo masculino estão sentados na movimentada área exterior do bar, enquanto as pessoas passam na calçada movimentada, incluindo um jovem de t-shirt e calções pesados.

O assaltante sacou da arma à vista de todos os turistas quando se aproximava da sua vítima.
Antonio Visconti

 

Quando o empregado traz o menu aos turistas e volta para dentro, o jovem é visto a andar à volta da zona dos lugares sentados, e depois a entrar na praça em direção aos turistas. Ele saca de uma arma e aponta-a à cabeça do turista enquanto lhe arranca o relógio do pulso. O incidente termina em segundos, e os turistas olham em choque enquanto explicam o que acabou de acontecer ao empregado.

O jovem segurava o turista enquanto lhe roubava o relógio.
Antonio Visconti

 

Mas as imagens subsequentes, tiradas apenas sete minutos depois, mostram os turistas - que decidiram ficar para a sua bebida - a ser abordados por outro jovem com uma t-shirt branca, balançando os braços para mostrar que está desarmado, e depois devolvendo-lhes o relógio.

Um cúmplice devolveu então o relógio e pediu desculpa.
Antonio Visconti

 

A razão? Era um relógio falso, em vez da preciosa engenhoca Richard Mille que supostamente era.

Mas em vez de um gesto de boa vontade, o proprietário do bar disse que era mais provável que fosse uma tentativa de evitar represálias legais.

"Trouxeram-no de volta dizendo 'desculpa, desculpa', talvez como uma tentativa de o levar a não o denunciar", disse Antonio Visconti à CNN.

Violência após o anoitecer

O turista disse ao empregado de mesa que tinha sido uma "aventura".
Antonio Visconti

 

O relógio, se fosse real, teria sido um prémio máximo para os ladrões.

"Pensavam que valia 300.000 euros", disse à CNN Francesco Emilio Borrelli, conselheiro da região da Campânia para o partido Europa Verde, que faz campanha contra o crime em Nápoles.

Borrelli disse que a praça tem sido, desde há algum tempo, um centro de atividade criminosa.

"Em 2019 houve uma 'stesa' [uma técnica de intimidação da máfia] com crianças a disparar para o céu. Numa outra época, em 2018, havia delinquentes a circular na multidão, armados, para alvejar outro criminoso. Havia vídeo de pessoas a fugir no meio da praça."

"Há algumas semanas, partilhei um vídeo de alguém a filmar um Tiktok a nadar na fonte. À noite, [a praça] torna-se um parque de estacionamento ilegal."

"Há já algum tempo que denuncio problemas nessa praça, mas não há vigilância. Está a poucos metros da câmara, do quartel-general do exército, e é uma das praças mais frequentadas pelos turistas. É uma das zonas menos seguras da cidade, e devia ser uma das mais seguras".

Borrelli disse que existem "grupos de jovens delinquentes em scooters" que cometem crimes na zona à noite, que se tornaram tão encorajados que nem se dão ao trabalho de disfarçar as suas identidades.

"Eles não se importam. Estão a usar uma pistola aos 13, 14 anos -- o tipo que fez isto sabia como usá-la, até a apontou à cabeça do turista suíço. Eles levam os relógios para serem revendidos imediatamente, mas [as pessoas a quem os levam] são bons, e imediatamente perceberam que não era genuíno."

"Por isso, conhecendo a lei, enviaram outro miúdo para o devolver. Porque sabem que os bares de lá têm CCTV, e sabem que as imagens foram gravadas.
E ter trazido o relógio de volta significa um castigo muito mais leve. Porque eles cometeram o roubo, mas trouxeram a propriedade de volta".

Má publicidade para Nápoles''

O co-proprietário do Monidee Café, Antonio Visconti -- que enviou a Borrelli as imagens do assalto em CCTV, numa tentativa de chamar a atenção para o que está a acontecer na praça -- disse à CNN que estava "arrependido" com o incidente.

"Não se trata apenas do nosso negócio, é má publicidade para Nápoles", disse ele à CNN.

"Há anos que dizemos as mesmas coisas - precisamos de um pacto social, precisamos de reiniciar o nosso setor. Não estamos habituados a este tipo de violência, mas sofremos agressões todos os dias. Estamos a travar uma guerra contra este tipo de coisas, mas estamos por nossa conta".

Na quinta-feira de manhã, ele e Borrelli juntaram-se a uma multidão relâmpago na praça, em protesto contra a "degradação e criminalidade" na praça.

O grupo exigiu uma patrulha policial fixa e CCTV após as 23 horas e nos fins-de-semana na praça.

Visconti e outros reuniram-se também com o prefeito de Nápoles, que partilhou com eles os planos para a praça, embora ele tenha dito que a câmara municipal tem estado menos próxima. O conselho não respondeu a um pedido de comentários.

O turista, disse Visconti, não pareceu assustado com o incidente. Não só ficou para a bebida, mas, disse o proprietário, "Ele disse, 'Que grande aventura'".

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados