Responsável do turismo italiano propõe relógios de plástico para evitar roubos

CNN , Hannah Ryan
3 jul, 22:00
Responsável do turismo italiano propõe fim ao roubo de relógios com alternativa barata (CNN)

Depois dos recentes relatos sobre o roubo do relógio de luxo de ator francês Daniel Auteuil em Nápoles, um responsável de turismo apresentou uma solução única para qualquer visitante preocupado com os roubos na cidade do Sul de Itália. 

Cesare Foa, o presidente da associação de operadores turísticos Aidit, sugere que os hotéis poderiam fornecer aos hóspedes que usam relógios caros alternativas de plástico barato para assegurar que os verdadeiros fiquem bem guardados enquanto se deslocam e exploram a cidade. 

A agência de notícias italiana ANSA comunicou na semana passada que o relógio do ator, um Patek Philippe de 39.000 euros, foi roubado por duas pessoas a conduzir scooters enquanto ele estava num táxi, com a janela aberta.  

O ator francês Daniel Auteuil, fotografado no Festival de Cannes em 2019, a quem foi roubado o relógio de luxo em Nápoles (Alberto PizzoliAFP/Getty Images) 

Foa disse à CNN na segunda-feira: “É importante que os turistas em Nápoles possam desfrutar tranquilamente a cidade. Por isso, penso que seria útil que os hotéis e a Câmara Municipal pudessem ajudar a garantir que estes hóspedes se sintam seguros e relaxados, dando-lhes um relógio de plástico”. Foa diz ainda que os relógios oferecidos não só seriam eficazes na prevenção do roubo como também poderiam servir como lembranças especiais para os turistas. 

“Os relógios poderiam ser decorados com um símbolo da Campânia (a região em Itália da qual Nápoles é a capital) e poderiam ser oferecidos como um presente aos familiares e amigos”, disse. 

O representante de turismo acrescentou que não há “nenhum problema de roubo” em Nápoles e que a situação não é diferente de qualquer outra cidade em Itália, como Milão ou Roma, ou até mesmo em qualquer outra grande cidade do mundo, onde os visitantes e os turistas são frequentemente alvo de carteiristas. 

Foa disse que a sua sugestão de solução também seria rentável, uma vez que os relógios de plástico poderiam custar tão pouco como 10 euros, afirmou. 

Se a ideia irá ou não arrancar ainda não está decidido, mas os turistas ricos podem achar melhor perder um relógio de 10 euros do que um de 40.000 euros. 

Europa

Mais Europa

Patrocinados