Incêndio de Murça em fase de resolução e vigilância. Autoridades tentam evitar reacendimentos

CNN Portugal , AM com Lusa
21 jul, 09:38

Portugal está em situação de alerta e tem, esta quinta-feira, mais de 60 concelhos de oito distritos em perigo máximo de incêndio

O incêndio que deflagrou no domingo em Cortinhas, no concelho de Murça, distrito de Vila Real, entrou em fase de resolução às 00:30, mantendo-se no local, às 9:30, de acordo com o site da Proteção Civil, 632 operacionais apoiados por 215 veículos e cinco meios aéreos.

Em declarações aos jornalistas ao início da manhã, Rodrigues Alves, comandante regional do Norte, afirmou que se espera que as "operações de rescaldo levem a uma situação de acalmia", mas que o vento e o aumento das temperaturas esperados para a tarde preocupam as autoridades. "Hoje é o derradeiro dia", afirmou.

Segundo o presidente da Câmara de Murça, Mário Artur Lopes, em declarações à Lusa, “mais de metade do concelho” de Murça foi atingido pelo incêndio, que teve uma evolução “muito rápida”, empurrado pelo vento.

O fogo colocou aldeias em perigo e foi necessário proceder a evacuações preventivas. Populares maioritariamente idosos foram retirados e pernoitaram na residência de estudantes, no pavilhão desportivo ou em casa de familiares.

Neste incêndio, morreu um casal de idosos que fugia das chamas, depois do carro onde seguiam ter caído numa ravina. Foram encontrados já mortos e as causas do acidente estão a ser investigadas pela GNR.

Mais de 60 concelhos de oito distritos em perigo máximo de incêndio

Mais de 60 concelhos dos distritos de Bragança, Vila Real, Guarda, Viseu, Coimbra, Santarém, Portalegre e Faro apresentam hoje perigo máximo de incêndio rural, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O IPMA colocou também vários concelhos de todos os distritos de Portugal continental em perigo muito elevado e elevado de incêndio rural, no dia em que mantêm Bragança e Guarda sob aviso laranja e Vila Real, Viseu, Castelo Branco, Portalegre, Évora e Beja, com aviso amarelo devido ao calor.

Segundo o Instituto, o perigo de incêndio rural vai manter-se elevado em algumas regiões do continente pelo menos até segunda-feira.

O perigo de incêndio, determinado pelo IPMA, tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo e os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Portugal continental está em situação de alerta, nível de resposta mais baixo previsto na Lei de Bases da Proteção Civil, desde segunda-feira e até hoje, devido ao risco de incêndio, depois de ter estado em contingência, nível intermédio, durante sete dias.

Meteorologia

Mais Meteorologia

Patrocinados