Morreu antigo presidente da Câmara de Guimarães Edmundo Marques de Campos

Agência Lusa , CE
7 nov, 16:07
Edmundo Marques de Campos (Foto: Câmara Municipal de Guimarães)

Em 2015, recebeu a Medalha de Honra do Município de Guimarães como "sinal de reconhecimento pela ação interventiva e fundamental no desenvolvimento do concelho"

O presidente da Câmara de Guimarães entre 1977 e 1979, Edmundo António Ribeiro Marques de Campos, morreu esta segunda-feira, revelou a autarquia, considerando que o antigo autarca “deixou um memorável legado no concelho”.

Em comunicado, a Câmara Municipal de Guimarães, no distrito de Braga, manifestou pesar pelo falecimento do antigo autarca, nascido na década de 1930 e que liderou o município entre 1977 e 1979.

“O presidente da Câmara de Guimarães, Domingos Bragança, apresenta as mais sentidas condolências e manifesta o profundo pesar à família de Edmundo António Ribeiro Marques de Campos pelo seu falecimento, esta segunda-feira, 07 de novembro, deixando um memorável legado no concelho de Guimarães, no mandato que desempenhou como presidente entre 1977 e 1979”, refere a autarquia.

A câmara lembra que, em 2015, “foi atribuída a Medalha de Honra do Município de Guimarães a Edmundo Marques de Campos, em sinal de reconhecimento pela ação interventiva e fundamental no desenvolvimento do concelho”.

“Edmundo Marques de Campos nasceu em Arcos de Valdevez [Viana do Castelo] na década de 1930, por ter sido aí que sua mãe estava colocada como professora, passando a residir em Guimarães aos dois meses de idade, no seio de uma família que tinha como referencial a memória do avô paterno, o advogado António Marques, que tinha sido vice-presidente da câmara municipal presidida pelo padre João Oliveira Guimarães, Abade de Tagilde, entre 1905 e 1907”, lê-se na nota.

Em dezembro de 1976, Edmundo Marques de Campos foi eleito, como candidato do Partido Socialista, presidente da Câmara Municipal para o mandato 1977/1979.

Nesse mandato, segundo a autarquia, “merecem especial referência” várias decisões, nomeadamente “a aquisição do Palácio de Vila Flor para as instalações provisórias da Universidade do Minho, decisiva para a concretização de Guimarães como cidade universitária, num tempo em que a localização de todos os cursos em Braga era defendida pela Reitoria universitária”.

A Câmara Municipal de Guimarães indica que as cerimónias fúnebres realizam-se na terça-feira, pelas 16:00, na Capela de Nossa Senhora de Fátima em Areia, na localidade de Árvore, concelho de Vila do Conde.

País

Mais País

Patrocinados