Monkeypox: regulador europeu recomenda vacina contra a varíola

Agência Lusa , FMC
22 jul, 14:25
Monkeypox (GettyImages)

EMA recomenda alargamento da vacina Imvanex usada no combate à varíola devido "à semelhança entre o vírus Monkeypox e o vírus da varíola"

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) recomendou esta sexta-feira a aprovação do alargamento da vacina Imvanex, usada no combate à varíola, para a proteção de adultos contra o vírus Monkeypox, após estudos clínicos revelarem que é eficaz e segura.

Em comunicado, o regulador europeu informa que o seu comité de medicamentos humanos “recomendou o alargamento da indicação da vacina contra a varíola Imvanex para incluir a proteção dos adultos contra a Monkeypox”.

Esta vacina foi aprovada na UE em 2013 para a prevenção da varíola, contendo uma forma atenuada de um vírus semelhante.

A conclusão da EMA é que esta foi agora “considerada uma vacina potencial para a varíola dos macacos devido à semelhança entre o vírus Monkeypox e o vírus da varíola”, indica o regulador da UE na nota.

A recomendação é baseada em vários estudos com animais que mostraram proteção contra o vírus da varíola em primatas não humanos, tendo o comité de medicamentos humanos da EMA verificado que a “eficácia da Imvanex na prevenção da doença da Monkeypox em humanos poderia ser inferida a partir destes estudos”.

“Para confirmar a eficácia da vacina contra a varíola do macaco, a empresa recolherá dados de um estudo observacional que será realizado durante o surto de Monkeypox em curso na Europa”, assinala o regulador.

Para já, a EMA ressalva que “o perfil de segurança do medicamento é favorável, com efeitos secundários leves a moderados”, pelo que “os benefícios do medicamento são maiores do que os riscos”.

Portugal totaliza 588 casos confirmados de Monkeypox, 73 dos quais notificados na última semana, indicou na quinta-feira a Direção-Geral da Saúde (DGS), avançando que já se iniciou a vacinação dos contactos próximos.

De acordo com o relatório semanal da DGS, todas as regiões de Portugal continental e a Madeira reportaram casos de infeção humana pelo vírus VMPX, mas a grande maioria do total de casos (80,3%) foi confirmada em Lisboa e Vale do Tejo.

O Norte é a segunda região do país com mais casos reportados de Monkeypox (55), seguindo-se o Centro (oito), o Alentejo (cinco), o Algarve (quatro) e a Madeira (três), refere a informação semanal da autoridade de Saúde.

Relacionados

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados