Graça Fonseca recorda contributo de Armando Gama para a história da música portuguesa

Agência Lusa , DCT
17 jan, 20:59
Armando Gama (Facebook)

A Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) também reagiu à morte do cantor

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, lamentou esta segunda-feira a morte do cantor, compositor e produtor Armando Gama, lembrando o seu contributo para a história da música portuguesa na segunda metade do século XX.

Armando Gama morreu segunda-feira de madrugada, aos 67 anos, no Instituto Português de Oncologia (IPO), em Lisboa, onde se encontrava internado.

Tendo iniciado o seu percurso profissional na década de setenta, Armando Gama compôs e interpretou temas que marcaram a história da música portuguesa na segunda metade do século XX”, afirma a ministra da Cultura, numa nota de pesar enviada às redações.

Graça Fonseca recorda ainda que o músico participou em diversos Festivais RTP da Canção, tendo vencido a sua vigésima edição e representado Portugal no Festival Eurovisão da Canção de 1983, em Munique.

Como produtor, “trabalhou com alguns dos músicos e intérpretes que marcaram, também, a música ligeira portuguesa”, acrescenta.

SPA recorda "estilo e bom gosto a tocar e cantar"

A Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) lamentou a morte do cantor e compositor Armando Gama, ocorrida hoje aos 67 anos, lembrando o “seu estilo e bom gosto a tocar e a cantar”.

“Manteve uma prolongada atividade artística, sendo sempre reconhecido pelo seu estilo e bom gosto”, refere a SPA, num comunicado hoje divulgado, no qual manifesta “pesar” pela morte do músico.

Na mensagem, na qual recorda a carreira de Armando Gama, a SPA refere que o músico era “beneficiário da cooperativa desde 1976 e seu cooperador desde julho de 1993”.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Música

Mais Música

Patrocinados