Avião volta para trás a meio do voo devido a passageira que não queria usar máscara

CNN , Marnie Hunter e Pete Muntean
26 jan, 17:00
American Airlines. Daniel Slim/AFP via Getty Images

Um avião de passageiros da American Airlines com destino a Londres deu meia-volta a meio do voo devido a uma perturbação relacionada com o uso da máscara, na passada quarta-feira.

“O voo 38 da American Airlines que seguia de Miami (MIA) para Londres (LHR) regressou a Miami, devido a perturbações causadas por uma passageira, que se recusou a cumprir o requisito federal de uso de máscara", afirmou a American Airlines em comunicado.

A polícia local recebeu o voo no Aeroporto Internacional de Miami, comentou a companhia aérea.

O Departamento de Polícia de Miami-Dade disse à CNN que foi chamado pela companhia aérea devido a uma passageira que se recusou a usar máscara.

"Assim que o avião chegou ao portão, a passageira foi escoltada para fora do avião por agentes da polícia de Miami, sem incidentes. Os funcionários da American Airlines lidaram com a passageira administrativamente", afirmou o detetive A. Colome, do Departamento de Polícia de Miami-Dade.

De acordo com o website de localização de voos FlightAware, o voo aterrou em Miami uma hora e 48 minutos após a partida.

O voo, operado numa aeronave Boeing 777, foi cancelado após o incidente. Havia 129 passageiros e 14 tripulantes a bordo. Os passageiros e tripulantes não sofreram ferimentos.

"Agradecemos à nossa tripulação pelo seu profissionalismo e pedimos desculpa aos nossos clientes pelo inconveniente", afirmou a American Airlines no seu comunicado.

Já houve 151 relatos de passageiros indisciplinados registados este ano, de acordo com os dados da Administração Federal de Aviação (FAA) até 18 de janeiro. Destes, 92 foram incidentes relacionados com o uso de máscara. O website da agência mostra que, este ano, se iniciaram 32 investigações e 4 casos de medidas coercivas.

Combater o mau comportamento dos passageiros

Em janeiro do ano passado, a FAA anunciou uma política de "tolerância zero" para o mau comportamento de passageiros que ignora avisos ou conselhos e impõe imediatamente sanções, que podem incluir multas pesadas e prisão.

É pouco claro se a passageira envolvida no incidente do voo 38 da AA enfrentará medidas coercivas por parte da FAA.

A FAA tem autoridade civil para propor multas de até 37 000 dólares por infração em casos de passageiros indisciplinados. A agência não tem autoridade para iniciar processos criminais.

A agência encaminhou, pelo menos, 37 casos, para os quais iniciou medidas coercivas, ao FBI para análise do processo criminal no ano passado.

O ano passado foi o pior já registado relativamente ao comportamento indisciplinado de passageiros em aviões nos Estados Unidos, de acordo com os dados da FAA.

Um número estonteante de 5 981 relatos de passageiros indisciplinados foi registado pela FAA em 2021. Destes, 4 290 - quase 72% -  foram incidentes relacionados com o uso da máscara.

A FAA indica, no seu website, que a taxa de incidentes de passageiros indisciplinados caiu cerca de 50% desde que atingiu números recordes no início de 2021. “Mas ainda há trabalho a fazer", é afirmado no website.

Antes de 2021, a FAA não registava o número de incidentes de passageiros indisciplinados relatados, porque era bastante consistente. Porém, um aumento acentuado no comportamento indisciplinado de passageiros no final de 2020 levou a agência a começar a registar os relatórios em 2021.

No entanto, a FAA regista o número de incidentes de passageiros indisciplinados que obrigaram à investigação desde 1995.

De 1995 a 2020, foram iniciadas, em média, 182 investigações por ano. Em 2021, a FAA iniciou 1 081 investigações – um aumento de 494% em relação à média histórica de investigações.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados