"Não podemos dizer mais nada, a situação é sensível": continua retida tripulação de navio português capturado pelo Irão

CNN Portugal , DCT
17 abr, 11:07
MSC Aires, via Marine Traffic

Governo português chamou terça-feira o embaixador do Irão em Lisboa para exigir que a tripulação fosse libertada - e admitiu tomar "medidas adicionais" se o Irão não cumprir o exigido. E até agora está por cumprir

A tripulação a bordo do navio com bandeira portuguesa que foi capturado no sábado pelo Irão ainda não foi libertada mas "está segura", disse esta quarta-feira a empresa de navegação MSC, que detém a embarcação. A bordo do navio estão 25 pessoas e, segundo o site Marine Traffics, o navio MSC Aries está ainda no Golfo Pérsico.

“Os 25 tripulantes estão seguros e estão em curso negociações com as autoridades iranianas para garantir a sua libertação o mais rapidamente possível”, lê-se no comunicado da empresa, que adianta ainda que está “também a trabalhar com as autoridades iranianas para que a carga seja descarregada”.

A empresa lamenta que, apesar de saber que “muitos estão preocupados e chocados com o grave incidente”, “infelizmente, devido à natureza extremamente sensível e fluida da situação”, não consegue fornecer mais detalhes sobre o assunto,

No sábado e horas antes do ataque a Israel, o Irão apreendeu navio de bandeira portuguesa. Dois dias depois, Teerão justificou a ação por “violação de normas” - e diz que pertence “ao regime sionista” -, argumentos que o Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal diz que não são “consistentes”.

Depois de o diretor-geral de Política Externa, Rui Vinhais, se ter reunido com o embaixador do Irão em Lisboa, Majid Tafreshi, Portugal admitiu tomar “passos adicionais” se o Irão não cumprir três exigências sobre o navio com bandeira portuguesa capturado.

Relacionados

Médio Oriente

Mais Médio Oriente

Mais Lidas

Patrocinados