Pizarro é a solução entre uma "política de continuidade" e um profissional que "conhece os problemas", dizem Médicos de Saúde Pública

Agência Lusa , FMC
9 set, 19:54
Médico

O representante da Associação espera que os "problemas do Serviço Nacional de Saúde" sejam resolvidos

A Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública (ANMSP) considerou esta sexta-feira que a nomeação de Manuel Pizarro para ministro da Saúde é uma solução equilibrada entre uma "política de continuidade" e um profissional que "conhece os problemas por dentro".

Em declarações à Lusa, o presidente da ANMSP, Gustavo Tato Borges, disse que a nomeação do eurodeputado socialista e médico Manuel Pizarro para substituir Marta Temido, que se demitiu do cargo em 30 de agosto, representa "uma boa solução de compromissos" entre a "política de continuidade" do primeiro-ministro, António Costa, e "um profissional de saúde que conhece os problemas por dentro".

Gustavo Tato Borges espera que, no quadro da solução "de equilíbrio" encontrada, os "problemas do Serviço Nacional de Saúde" sejam resolvidos, como "a situação das urgências hospitalares", a revisão das carreiras ou o financiamento das unidades de saúde pública.

Manuel Pizarro, especialista em medicina interna, foi secretário de Estado da Saúde nos dois executivos socialistas liderados por José Sócrates, entre 2008 e 2011.

Tomará posse como ministro da Saúde no sábado.

Saúde

Mais Saúde

Patrocinados