Le Pen + Putin em forma de coração e uma manifestante arrastada pelo chão: assim acabou uma conferência da candidata presidencial francesa

14 abr, 13:18

Manifestante foi atirada ao chão e arrastada até fora da sala pelos seguranças

Marine Le Pen falava em conferência de imprensa esta quarta-feira quando foi interrompida por uma manifestante que empunhava um  cartaz em forma de coração com as imagens de de Le Pen e Vladimir Putin. A candidata falava numa conferência de imprensa destinada a esclarecer as suas posições a nível internacional e que tipo de política externa vai defender caso ganhe as eleições presidenciais de 24 de abril.

Assim que a manifestante de um movimento ecologista levantou o cartaz, que mostrava uma fotografia do encontro de Le Pen com Putin em 2017, os seguranças da candidata à presidência francesa entraram em ação e atiraram-na ao chão. E depois arrastaram-na pelo chão até fora da sala.

Manifestante de um movimento ecologista arrastada para fora da sala (EPA/YOAN VALAT)

Há cinco anos, Putin recebeu Le Pen no Kremlin, onde a candidata às eleições presidenciais francesas afirmou que admirava o facto de partilhar os mesmos valores de Putin e que uma "nova ordem mundial" estivesse a nascer com ele.

Na conferência de imprensa desta quarta-feira, Marine Le Pen foi questionada sobre a sua proximidade com o regime de Moscovo e esclareceu que, até ao início da guerra da Ucrânia, considerava ser do interesse da França manter boas relações com o Kremlin.

"Até ao início da guerra na Ucrânia, pensava efetivamente que era do interesse de França aproximar a Rússia da Europa e, sobretudo, impedir a Rússia de constituir uma aliança próxima com a China", respondeu aos jornalistas.

Já sobre o papel da NATO, Marine Le Pen disse que se for presidente vai retirar França do comando militar da organização, voltando à política adotada pelo país entre 1966 e 2009. Para Le Pen, as forças francesas não devem estar sob comando de outra soberania que não a francesa, embora garanta que o país permanecerá na NATO.

Marine Le Pen e Emmanuel Macron vão defrontar-se daqui a duas semanas na segunda volta das eleições presidenciais, que se realizam a 24 de abril.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados