Administradora executiva de empresa municipal de Cascais sai após CNN Portugal denunciar contratos com o genro

22 nov, 13:23

Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal de Cascais, referiu-se a Maria do Céu Garcia como ex-administradora da Cascais Dinâmica, a empresa municipal que assinou vários contratos com consultora detida pelo genro da própria funcionária municipal

Maria do Céu Garcia deixou de ser administradora da Cascais Dinâmica, a empresa municipal de Cascais que gere o aeródromo de Tires, depois de a CNN Portugal ter noticiado que a empresa tinha feito três contratos por ajuste direto com uma outra empresa detida pelo genro da própria administradora executiva.

Esta terça-feira, em reunião com os vereadores da Câmara Municipal, o presidente da autarquia, Carlos Carreiras, foi questionado pela vereadora socialista Alexandra Carvalho sobre a teia de relações familiares na gestão do aeródromo. 

O autarca admitiu a contratação de um comandante que, à data, não tinha qualquer relação familiar com aquela que descreveu como "ex-administradora" da Cascais Dinâmica, deixando clara a saída de Maria do Céu Garcia. Carreiras deixou ainda uma palavra de "reconhecimento" a Maria do Céu Garcia "pelo trabalho que desempenhou enquanto administradora" e assinalou que "se houve alguém aqui que se aproveitou foi o presidente da câmara, que se socorreu de pessoas das relações familiares da própria ex-administradora para resolver problemas que são problemas do concelho". 

O autarca salientou ainda que a contratação do comandante que se viria a tornar genro da administradora da empresa municipal que gere o aeródromo de Tires permitiu aumentar a faturação do aeródromo entre 2018 e 2022, ao confrontar "interesses instalados no terreno", e que tudo "foi feito no cumprimento integral dos procedimentos legais em vigor".

Em causa estão contratos celebrados entre 2019 e 2022 entre a Cascais Dinâmica e a empresa do genro da administradora executiva, a ATDS Aviation Training Delivery Solutions, Unipessoal Lda que é detida a 100% por Salvador Costa Pereira, casado com uma das filhas de Maria do Céu Garcia. 

Costa Pereira, que é piloto comercial, criou a empresa em outubro de 2018 para a prestação de serviços de consultoria e formação na área da aviação. E sete meses depois de ser fundada, chegou o primeiro ajuste direto no valor de 19.500,00 euros, menos 500 euros do limite máximo para a Cascais Dinâmica ter de recorrer a um concurso público. A ATDS Aviation Training Delivery Solutions voltou a celebrar um novo ajuste direto no último dia de 2019, sendo que o valor também foi de 19.500,00 euros e tinha um prazo de execução de cerca de oito meses. O último contrato foi assinado por um valor apenas dois euros inferior ao limite legal para a execução deste tipo de contratos, 19.998,00 euros.

Relacionados

Política

Mais Política

Patrocinados