Marcelo Rebelo de Sousa cancela viagem a Nova Iorque devido ao risco de incêndios em Portugal

CNN Portugal , BMA
9 jul, 22:24
Marcelo Rebelo de Sousa (Hugo Delgado/ LUSA)

Também o primeiro-ministro, António Costa, cancelou a visita oficial a Moçambique

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, cancelou este sábado a deslocação a Nova Iorque, prevista para o início da próxima semana.

À semelhança do que fez o primeiro-ministro António Costa, que cancelou a visita oficial a Moçambique, também Marcelo Rebelo de Sousa decidiu ficar em Portugal no início da semana, devido ao "muito elevado risco de incêndios florestais", lê-se em comunicado no site da Presidência.

Na viagem que tinha agendada, o Presidente iria intervir numa reunião especial do Conselho Económico e Social da ONU.

De lembrar que Portugal vai entrar em "situação de contingência" entre 11 e 15 de julho devido ao risco de incêndios. A informação foi avançada ao final da tarde deste sábado pelo ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, após reunião com os ministérios da Defesa Nacional, do Ambiente e das Alterações Climáticas, da Agricultura e Alimentação e da Saúde.

Em entrevista à CNN Portugal, a secretária de estado da Proteção Civil (PROCIV), Patrícia Gaspar, adianta que a evolução dos diversos focos de incêndio está a ser "acompanhada com muita atenção" e que este cenário excecional é resultado de um conjunto de elementos que promovem a evolução dos fogos.

"Estamos perante um cenário meteorológico de enorme complexidade, com uma série de fatores que se conjugam de forma negativa para a progressão dos incêndios. Temos temperaturas elevadíssimas, vento forte, humidades relativas muito baixas e ainda um quarto elemento que prejudica ainda mais este cenário: a seca severa no nosso país", diz Patrícia Gaspar, que explica que, por este conjunto de motivos, há uma maior disponibilidade de todos os matos para arder.

 

Patrocinados