Marcelo e Felipe VI tiveram encontro de duas horas antes da posse de Lula

Agência Lusa , NM
1 jan, 17:32
Rei Filipe VI de Espanha e Marcelo Rebelo de Sousa (Lusa/Hugo Delgado)

Chefes de Estado passearam no Lago Paranoá e almoçaram num hotel da capital brasileira

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e Felipe VI de Espanha tiveram este domingo um encontro, com almoço, de cerca de duas horas, em Brasília, antes da posse de Lula da Silva como Presidente do Brasil.

Os dois chefes de Estado encontraram-se num hotel da capital brasileira, onde passearam por alguns minutos junto ao Lago Paranoá, antes de almoçarem.

O almoço terminou pouco antes do início da cerimónia de posse de Lula da Silva como Presidente do Brasil, na qual o monarca espanhol e o Presidente português vão estar presentes.

Marcelo e Felipe VI: os encontros regulares do presidente português e do Rei espanhol

Felipe VI, coroado rei em 19 de junho de 2014, após a abdicação do seu pai, Juan Carlos, assistiu à cerimónia de posse de Marcelo Rebelo de Sousa como Presidente da República, em Lisboa, em 09 de março de 2016.

As primeiras deslocações de Marcelo Rebelo de Sousa como chefe de Estado foram ao Vaticano e a Madrid, ambas em 17 de março de 2016, e ao iniciar o segundo mandato repetiu esses destinos, em 12 de março de 2021.

A sua relação com o monarca espanhol manteve-se próxima, com contactos e encontros frequentes. Só nos primeiros dois anos de mandato de Marcelo Rebelo de Sousa, os dois chefes de Estado encontraram-se dez vezes.

Os reis de Espanha, Felipe VI e Letizia, estiveram em Portugal em visita de Estado entre 28 e 30 de novembro de 2016, com passagens pelo Porto, Guimarães e Lisboa.

O Presidente da República, por sua vez, realizou uma visita de Estado a Espanha em abril de 2018, dividida entre Madrid e Salamanca, em que esteve sempre acompanhado pelo rei Felipe VI.

Quando chegou a Brasília, na sexta-feira, Marcelo Rebelo de Sousa referiu que não se encontrava com Felipe VI "há muito tempo".

"Nós encontrávamo-nos sempre três, quatro vezes por ano, neste ano não nos encontramos desde maio, não foi possível. Vamos aqui fazer um almoço reunião muito bom para os dois países", declarou.

Política

Mais Política

Patrocinados