«Jota? Nem todas as contratações são bem-sucedidas no início»

20 nov, 16:01
Jota (Al Ittihad)

Vice-presidente da liga saudita confia nas qualidades do português e revela os jogadores em que o governo investiu

Contratado pelo Al Ittihad ao Celtic no último verão, por quase 30 milhões de euros, Jota tem sido pouco utilizado no clube saudita devido ao limite de estrangeiros. Contudo, Saad Al-Ladhiz, vice-presidente da Liga da Arábia Saudita, confia que o extremo português ainda vai ter protagonismo no futuro.

«Jota é um jogador talentoso e que foi comprado pelo programa de recrutamento [do governo] a pedido do Al Ittihad. Ele tem 24 anos, teve uma época excelente no seu antigo clube e ainda acreditamos que tem muito para oferecer. Nem todas as contratações são bem-sucedidas desde o início, mas nós acreditamos que ele irá aparecer de uma forma diferente no futuro. Enquanto comité, não podemos interferir em matérias técnicas dentro de um clube», afirmou o dirigente no programa Koura, da Rotana Khalijia.

Jota tem 11 golos e um jogo no Al Ittihad e soma apenas 133 minutos no campeonato.

O vice-presidente da liga saudita negou ainda que Karim Benzema tenha pedido o despedimento de Nuno Espírito Santo do Al Ittihad e revelou detalhes de algumas das movimentações do mercado de transferências.

Saad Al-Ladhiz sublinhou que o Al Nassr não teve custos com a contratação de Cristiano Ronaldo, que chegou ao clube depois de ter rescindido com o Manchester United. O dirigente também esclareceu que as chegadas de Otávio e Marcelo Brozovic ao Al Nassr foram patrocinadas pelo governo do país.

Neymar também não implicou custos para o Al Hilal e foi o governo saudita quem investiu cerca de 90 milhões de euros para recrutar o brasileiro ao PSG.

Por outro lado, Yassine Bounou, guarda-redes do Al Hilal e Aymeric Laporte, do Al Nassr, foram adquiridos «fora do projeto de polarização» e tiveram custos para os respetivos clubes.

Relacionados

Patrocinados