Marcos Braz: «Jesus sentiu-se desconfortável e pediu para sair»

10 jan, 17:43
Marcos Braz

Dirigente do Flamengo explicou a saída do técnico em 2020, durante a apresentação de Paulo Sousa

Na apresentação de Paulo Sousa como novo treinador do Flamengo, o nome de Jorge Jesus não foi esquecido. O ‘vice’ do emblema brasileiro explicou a saída do técnico português, no verão de 2020, quando confrontado com as demissões dos recentes treinadores do Flamengo, como Rogério Ceni e Renato Gaúcho.

«Nós tivemos um técnico no começo da temporada de 2019, que entendíamos que deveríamos ter. Ele é que resolveu sair. Quando contratámos Jorge Jesus, foi após um pedido de demissão de um técnico. Chegou 2020 e tínhamos um técnico com contrato. Existiu uma situação que saiu do controlo de todos nós, a maior crise sanitária da humanidade - a covid-19 - e o técnico, que não era daqui, que não estava no seu país, sentiu-se desconfortável e pediu para sair. No meio deste processo, tivemos treinadores que não demitimos, mas sim que queriam sair e nós respeitamos os pedidos de demissão», afirmou o dirigente.

Recorde-se que Jorge Jesus deixou o Brasil, após 43 triunfos em 57 partidas, para assumir o comando técnico do Benfica, cargo do qual foi demitido no final de dezembro último. O «Mengão» contratou agora outro técnico português, Paulo Sousa, que abandonou a seleção da Polónia.

Relacionados

Patrocinados