Paulo Sousa: «Jorge Jesus não é fantasma nenhum»

6 jan, 23:39

Técnico português, de partida para o Brasil, ambiciona «ganhar troféus» no Flamengo

O treinador português Paulo Sousa, que viajou esta quinta-feira para o Brasil, para representar o Flamengo, garantiu que não há fantasmas com Jorge Jesus, técnico português que na sua passagem recente pelos rubro-negros conquistou um total de seis títulos.

«Ele [Jorge Jesus] não é fantasma nenhum. É muito bom treinador. Tem vindo a demonstrar isso, todo o trabalho que ele fez por vários clubes e sobretudo no Benfica. Fantasma não é. É uma pessoa que se dedica, gosta do que faz e sempre demonstrou a sua qualidade e a sua paixão. Tal como irei expressar a minha paixão, com fortes convicções das minhas ideias, da minha liderança e da capacidade que tenho, em conjunto com o meu staff e o plantel. Tudo aquilo que o Flamengo é hoje é uma expressão máxima para podermos ambicionar ganhar troféus», realçou, em declarações os jornalistas, no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

Paulo Sousa, que deixou a seleção da Polónia, diz que ruma ao 'Mengão' para ganhar títulos, mas que há trabalho pela frente nesse sentido. «Vamos ter muito trabalho, entusiasmo, dedicação e humildade. É uma equipa que vai querer vencer todos os dias, em todos os jogos, e isso tem de ser feito com qualidade e humildade. Temos muita qualidade, mas para isso, para pode vencer jogos, vamos ter muito trabalho», apontou.

À sua espera antes do avião, pelas 21h30, Paulo Sousa tinha cerca de 20 adeptos do Flamengo, que se fizeram acompanhar de uma tarja onde se lia “Embaixada Fla-Portugal”. Paulo Sousa dirigiu-se a eles, colocou um cachecol do Flamengo à volta do pescoço e recebeu dois livros de oferta sobre a história do clube.

Acompanhado do vice-presidente do Flamengo, Marcos Braz, e do treinador de guarda-redes Paulo Grilo, Paulo Sousa elogiou o «elenco», mas espera reforços no plantel e, em relação à polémica rescisão de contrato com a federação polaca, Paulo Sousa diz que já é «passado».

«Estou muito orgulhoso por aquilo que fiz, pelas mudanças dentro das quatro linhas e pelo futebol que praticámos. Fomos uma das equipas que mais golos fez na qualificação para o próximo mundial. Demonstrámos sempre sermos protagonistas e estou orgulhoso de poder dedicar-me e oferecer tudo que temos, com honestidade e respeito. No momento em que tomei a decisão de abraçar um projeto com a grandeza do Flamengo é nele que penso e não no passado», rematou.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Brasil

Mais Brasil

Patrocinados