Saída de treinadores: mais cedo que Tiago só cinco vezes este século

9 out 2020, 12:00
Rio Ave-V. Guimarães

Foi precisamente em Guimarães, há nove anos, que um técnico saiu antes da terceira jornada da Liga

artigo atualizado às 14h36

A saída de Tiago do comando técnico do Vitória de Guimarães é a primeira entre treinadores na edição 2020/2021 da I Liga, ao fim de três jornadas. Um acontecimento inevitável à luz do passado recente no futebol português ao longo da época. Contudo, tão ou mais cedo é cenário raro neste século: só por cinco vezes um treinador saiu antes da terceira ronda da I Liga.

Para ver saída mais prematura, ao nível do campeonato, é preciso recuar nove anos. O último caso foi, precisamente, no V. Guimarães: Manuel Machado saiu a 26 de agosto de 2011, após a primeira jornada. Contudo, se Tiago disputou três jogos oficiais da I Liga, Machado tinha feito outros cinco: a Supertaça e quatro na Liga Europa. Foi o apuramento falhado para a competição europeia que ditou a saída.

Hélio Sousa (2005/2006), Manuel Fernandes e Manuel Cajuda (ambos em 2004/2005) também saíram com menos jornadas disputadas, neste século. Tal como Fernando Santos, que em 2007 foi despedido do Benfica após um empate com o Leixões (no Bessa), para a ronda inaugural da Liga. E isto a meio da terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões, com o Copenhaga.

Há seis anos que um treinador não saía após três jornadas, como agora sucede com Tiago. O último caso foi João de Deus, no Gil Vicente, em 2014/2015.

De notar, porém, que nem todas foram motivadas pelos resultados. Neste último caso, Tiago pediu a demissão. Em 2011, o Paços de Ferreira apostou em Luís Miguel para colmatar a saída forçada de Rui Vitória, que sucedeu a Machado em Guimarães.

Por falar em saídas precoces, desde 2000 que houve três que nem começaram a época oficial. Luigi Del Neri no FC Porto e Ulisses Morais no Estoril, ambos na época 2004/2005. Há um ano, no Sporting, Sinisa Mihajlovic durou nove dias no cargo.

Saídas até à terceira jornada na I Liga este século:
 

2020/2021: Tiago (V. Guimarães), após a 3.ª jornada

2014/2015: João de Deus (Gil Vicente), após a 3.ª jornada

2011/2012: Pedro Caixinha (U. Leiria), após a 3.ª jornada

2011/2012: Rui Vitória (P. Ferreira), após a 3.ª jornada

2011/2012: Manuel Machado (V. Guimarães), após a 1.ª jornada

2008/2009: Manuel Machado (Académica), após a 3.ª jornada

2007/08: Fernando Santos (Benfica), após a 1.ª jornada

2006/2007: Hélio Sousa (V. Setúbal), após a 2.ª jornada

2004/2005: Manuel Fernandes (Penafiel), após a 2.ª jornada

2004/2005: Manuel Cajuda (Marítimo), após a 1.ª jornada

Relacionados

Patrocinados