Champions: Real Madrid-Bayern Munique, 2-1 (crónica)

8 mai, 22:14

Joselu vestiu a capa de herói e merengues vão atrás da 15.ª Liga dos Campeões na história

Pode parecer repetitivo, mas não é (ou se calhar até o é)... O Real Madrid derrotou o Bayern Munique por 2-1 e carimbou a passagem à final da Liga dos Campeões.

Os comandados de Carlo Ancelotti estiveram em desvantagem até aos 88 minutos, com um golo de Alphonso Davies, mas um herói improvável emergiu e fez dois golos de rajada, que levam a equipa até ao jogo decisivo, em Wembley, frente ao surpreendente Borussia Dortmund, no próximo dia um de junho.

Embalados pelo público, no Santiago Bernabéu, os jogadores do Real Madrid entraram melhor e apesar da falta de oportunidades nos primeiros minutos, foi a equipa da casa a criar perigo. Num ataque repleto de estrelas, Vinícius Júnior teve o espaço que não lhe deve ser oferecido e dentro da área rematou ao poste da baliza de Neuer. Entre os postes, o internacional germânico mostrou o porquê de ainda ser um dos melhores do mundo e na recarga, evitou o 1-0 que surgiu nos pés de Rodrygo.

Os primeiros 45 minutos foram, de facto, difíceis para o Bayern Munique, que viu as coisas complicarem-se ainda mais quando Serge Gnabry teve de ser substituído após apresentar queixas musculares. Para o seu lugar entrou o versátil Alphonso Davies, que em campo há apenas dois minutos, viu Harry Kane atirar de primeira, com um remate à meia volta, para uma defesa espetacular de Lunin.

Torna-se difícil de explicar como Ancelotti conseguiu montar uma equipa capaz de lutar pelos principais títulos em disputa (com a Liga Espanhola já no bolso), perante a quantidade de mudanças e lesões que afetaram o plantel ao longo da época.

A verdade é que a experiência do técnico italiano (o mais titulado nesta competição, com cinco Champions) conseguiu fazê-lo e a fechar o primeiro tempo, um susto quase colocou os merengues na frente do marcador. Um cruzamento do lado esquerdo percorreu toda a área e apenas um atento Manuel Neuer evitou o golo da equipa da casa.

Estava assim confirmado o resultado ao intervalo e a eliminatória mais do que em aberto, ainda que com claro ascendente do Real Madrid.

No segundo tempo, mais do mesmo, uma entrada muito forte do Real Madrid no encontro e novamente através dos suspeitos do costume. Vinícius Júnior, Rodrygo e Bellingham, quais três mosqueteiros, foram criando problema atrás de problema aos defesas do Bayern, mas a pontaria continuava a não ser a melhor. 

Pelo meio, Kimmich e Mazraoui perderam (certamente) os rins, só que apesar da confiança nos dribles, tanto Vinícius Júnior como Rodrygo não conseguiram acertar com a baliza de Neuer.

Foi então que o Bayern deu a provar à equipa da casa o veneno que muitas vezes foi mortífero para os adversários. Completamente contra a corrente do jogo, Alphonso Davies, que tem sido apontado como possível reforço dos merengues, fez o que quis de Rüdiger e apresentou com um golaço, o cartão de visita aos milhares de adeptos no Santiago Bernabéu.

Joselu, o herói improvável que emergiu do banco de suplentes

Só que na Liga dos Campeões, o Real Madrid é como os gatos (tem sete vidas, ou mais até) e a cartada final de Carlo Ancelotti estava no banco de suplentes. Contratado por empréstimo ao Espanhol, após a saída de Benzema, Joselu veio agitar o ataque «merengue» e na verdade, acabou por ser mesmo um furacão.

Depois de uma exibição categórica ao longo de quase 90 minutos, Manuel Neuer teve um momento infeliz e o experiente avançado de 34 anos estava lá para capitalizar. O guardião largou a bola para a frente e Joselu agradeceu, fazendo assim o golo do empate.

Mas lembra-se do que leu na frase a negrito? Pois, é que Joselu decidiu que esta seria a noite de glória e para lá do minuto 90, respondeu ao cruzamento tenso de Rüdiger e desviou para o fundo da baliza. No meio da confusão, o árbitro do encontro ainda teve de esperar pela indicação do VAR, que acabou por confirmar a explosão de alegria no Santiago Bernabéu.

Perante as adversidades, o Real Madrid voltou a mostrar sangue de campeão e vai agora medir forças na final com o Borussia Dortmund. Será o último jogo de Marco Reus com a camisola dos germânicos e um encontro certamente especial para Jude Bellingham, que vai defrontar a equipa que deixou no verão passado.

.(VÍDEOS: ELEVEN NA DAZN).

Relacionados

Champions

Mais Champions

Patrocinados