«É um jogo para nunca mais esquecer, foi o pior desde que estou no Marítimo»

Raul Caires , Estádio do Marítimo, Funchal
15 ago, 19:06
Marítimo-Desp. Chaves (Homem de Gouveia/Lusa)

Vasco Seabra mostrou desagrado pela exibição da equipa após a derrota caseira contra o Desp. Chaves

Vasco Seabra, treinador do Marítimo, em declarações na sala de imprensa do estádio do emblema madeirense, após a derrota por 2-1 contra o Desportivo de Chaves, em jogo da segunda jornada da Liga:

«Um jogo para nunca mais nos esquecemos, porque penso que foi pior desde que estou no Marítimo. Um jogo onde nunca nos encontrámos, em que estivemos sempre no jogo em altos e baixos. Naturalmente temos que arrepiar caminho, temos que nos reerguer pois estes não somos nós. As coisas podem não nos correr bem, mas temos de nos manter compactos, procurar fazer bem as coisas, correr e chegar primeiro.     

Tivemos várias oportunidades para fazer golos, mas concedemos 20 e tal remates a uma equipa… são dados estatísticos mas revelam que forçosamente temos que refletir e corrigir de imediato porque não há tempo.»

[Sobre os reforços]: «Acho que os reforços têm qualidade e precisam de tempo para perceber as ideias de jogo, ganhar ritmo e de crescer, faz parte do treino. Se estivesse na pré-época estaria muito mais preocupado. Sabemos que hoje não estivemos bem, e sabemos para onde queremos ir. 

Quando não estamos ligados ao mesmo ‘chip’, não há organização ou capacidade que ns consiga ligar. Hoje chegamos tarde os ‘timings’ de pressão não estavam nos momentos que a gente consegue. Nós hoje reagimos muito em vez de agir.»

 

 

Relacionados

Patrocinados