Famalicão exige pedido de desculpas à Liga e ao Governo

13 set, 17:38
Famalicão-Benfica

Clube pronunciou-se sobre o episódio da criança que tinha uma camisola do Benfica e foi obrigada a ver o jogo em tronco nu e negou responsabilidades no sucedido

O Famalicão exige «um pedido de desculpas formal» à Liga e ao Governo pela reação ao episódio ocorrido no jogo contra o Benfica, da sexta jornada da Liga. Recorde-se que uma criança, vestida com uma camisola dos encarnados na zona destinada ao público da equipa da casa, foi obrigado a despir a peça de roupa e a ficar em tronco nu.

Ora, os famalicenses começam por justificar a demora na reação ao acontecimento porque pretendia «averigurar os factos com o rigor exigido». O clube minhoto lamenta «profundamente» a situação vivida pelo jovem adepto, mas frisa que foi o pai que decidiu retirar-lhe a camisola e deixá-lo em tronco nu após ter sido informado pelos assistentes de recinto desportivo de que não eram permitidos adereços afetos à equipa visitante naquela bancada.

O Famalicão garante ainda que pode atestar o que se passou «através dos elementos da segurança privada e segurança pública presentes no local assim como pela gravação de videovigilância do evento».

Por fim, os famalicenses apontam para o regulamento de segurança e de utilização dos espaços de acesso público, artigo 28 número 2, e exigem «um pedido de desculpa formal por parte do Dr. Pedro Proença, representando a Liga Portugal, e do Dr. João Paulo Correia, representando o Governo, pelas posições assumidas de uma forma extemporânea e ofensiva para a honra e bom nome do nosso clube». 

O Benfica saiu, recorde-se, em defesa do jovem adepto enquanto Pedro Proença condenou o sucedido. Já o Secretário de Estado do Desporto, João Paulo Correia, falou em «intolerância implacável» e pediu um esclarecimento sobre o que aconteceu. 

Leia o comunicado do Famalicao na íntegra:

O Futebol Clube Famalicão evitou até ao presente pronunciar-se sobre o acontecimento ocorrido no passado fim de semana porque pretendíamos averiguar os factos com o rigor exigido. No entanto, sem dar lugar ao contraditório por parte do Futebol Clube Famalicão, muito foi dito nestes dias até por altas individualidades do nosso país, nomeadamente o Presidente da Liga Portugal e o Secretário de Estado do Desporto.

Lamentando profundamente a situação vivida pela criança, que não merecia a exposição a que esteve sujeita e à qual o nosso clube é totalmente alheio, como explanaremos adiante, comunicamos:

1 – Da relação com adeptos – O Futebol Clube Famalicão recebe com cordialidade os adeptos visitantes, cumpre a lei e os regulamentos e é conhecido pela forma como trata não só os seus adeptos, mas também quem nos visita com diversos exemplos ao longo dos anos. Acima de tudo, cabe-nos a proteção dos nossos adeptos, da nossa cidade, do bom nome do concelho. Juntos, com os nossos, construímos um clube conhecido pela paixão e fervor pelas suas cores e não abdicaremos nunca de lutar para que os nossos adeptos vivam este amor de perdição de uma forma tão apaixonada como a forma como sentimos o clube.

2 – Especificidades do Estádio – O Estádio Municipal de Famalicão, propriedade da Câmara Municipal de Famalicão, está setorizado com duas zonas destinadas ao público visitante, nas quais são permitidos adereços do clube visitante. Bem visível foi a mancha vermelha presente naquela bancada, onde não se encontravam, neste caso concreto, o pai e a criança. Nesse sentido, ao pai da criança foi transmitido pelos assistentes de recinto desportivo (ARD’s) e pela PSP a impossibilidade de aceder com adereços da equipa visitante a uma bancada que não a afeta ao público visitante. Quando informado das condições de acesso e permanência no estádio (nas quais se inclui a permissão de utilização de adereços visitantes exclusivamente no setor visitante) pelo assistente de recinto desportivo no primeiro ponto de controlo antes da entrada, o pai da criança optou por retirar a camisola alusiva ao clube visitante do corpo do filho, expondo-o em tronco nu, o qual podemos atestar através dos elementos da segurança privada e segurança pública presentes no local assim como pela gravação de videovigilância do evento, não procurando uma alternativa para o seu acesso àquela bancada no cumprimento dos dispositivos regulamentares e legais.

Cumpre-nos ainda esclarecer que o acesso do pai e do respetivo filho ao setor afeto à equipa visitada foi efetivado através de convites regulamentares, na medida em que apenas os sócios do Futebol Clube Famalicão poderiam adquirir bilhete para o referido setor do Estádio Municipal de Famalicão.

Também o Relatório dos Delegados da Liga Portugal não relata qualquer incidente em matéria de segurança, tendo o Futebol Clube Famalicão sido, inclusivamente, felicitado pela equipa de Delegados da Liga presente no referido jogo por esse facto. Um sentimento que adquire maior dimensão e importância dado terem sido elogios prestados pelos delegados com melhor pontuação nas duas últimas temporadas desportivas, a quem é reconhecida elevada competência e igual exigência no cumprimento de todos os deveres.

3 – A atuação dos ARD´S e PSP – No estrito cumprimento do citado regulamento, os elementos destas entidades tiveram um cumprimento exemplar das funções para as quais estavam contratadas. Como nota, acresce que foi o maior contingente policial jamais visto no nosso estádio, por decisão única e exclusiva da Polícia de Segurança Pública, destacando-se que não houve nenhuma ocorrência a nível de segurança.

4 – Posição da Liga Portugal e do Secretário de Estado do Desporto – Exigimos um pedido de desculpa formal por parte do Dr. Pedro Proença, representando a Liga Portugal, e do Dr. João Paulo Correia, representando o Governo, pelas posições assumidas de uma forma extemporânea e ofensiva para a honra e bom nome do nosso clube. Todos os factos ocorridos estão contemplados no regulamento de segurança e de utilização dos espaços de acesso público, nomeadamente no seu artigo 28 número 2 para a época desportiva 22/23 que passamos a transcrever – “Apenas é permitida a entrada e a utilização de adereços da equipa visitante nos setores B0 e B1 reservada aos seus adeptos”. Preside a esta norma um estrito critério de segurança. Bem sabiam, porque não podem desconhecer este regulamento aprovado pelas entidades que superiormente dirigem.

Aguardamos serenamente pelo pedido de desculpas formal de quem gravemente ofendeu este clube quando tinha o dever de defendê-lo, com a certeza que nada nos desviará do caminho de fazer do Futebol Clube Famalicão um clube cada vez maior.

Relacionados

Benfica

Mais Benfica

Patrocinados