Itália
104'
2 - 1
Albânia

Champions: Leipzig-Real Madrid, 0-1 (crónica)

13 fev, 22:02

Magia de Brahim Díaz desperta Real Madrid para triunfo na casa do Leipzig

O Real Madrid venceu, por 0-1, na noite desta terça-feira, na Alemanha, na visita ao Leipzig, em encontro da primeira mão dos «oitavos» da Liga dos Campeões. Para a partida na Red Bull Arena, Ancelotti não contou com os lesionados Bellingham, Rüdiger, Courtois, Alaba e Militão, e a diferença não tardou a ficar espelhada em campo.

Numa primeira parte de pouca inspiração, acerto e controlo, o Leipzig criou as melhores oportunidades, a primeira logo ao segundo minuto. Na sequência de um canto à direita, Sesko surgiu em posição regular e cabeceou para o golo. Todavia, a equipa de arbitragem, e o VAR, desvendaram uma posição irregular, de Henrichs, que terá incomodado a ação do guardião Lunin.

Esta foi a primeira de três oportunidades finalizadas pelo avançado esloveno, sempre a passe de Olmo. Para alívio dos «merengues», Lunin, na parada e na mancha, evitou males maiores.

Até ao intervalo, o Real Madrid até registou mais remates (5-8), mas sem perigo, até porque a maioria dos lances terminavam fora da área. Exceção feita ao remate de Vini Jr., aos 45m, quando o avançado desperdiçou uma oportunidade única. Pela direita, servido por Brahim, o astro brasileiro rematou muito torto.

Assim, ao intervalo, a turma de Ancelotti acusava a ausência de Bellingham, face às constantes perdas de bola em construção e falta de soluções na frente.

Magia de Brahim «esconde» apatia defensiva

A lesão de Rüdiger obrigou Ancelotti a apostar em Nacho e Tchouaméni, sendo o francês uma clara adaptação. Em todo o caso, tal mexida não esclarece a «sonolência» do quarteto defensivo. Ainda assim, e num momento de pura magia, Brahim Díaz contrariou a narrativa do encontro.

Corria o minuto 49 quando, da direita para o meio, serpenteando entre os defesas, o avançado espanhol desferiu um arco indefensável, encerrando uma bela iniciativa a solo.

Foi um momento singular na partida, pois os «merengues» não mais foram eficazes, ainda que o avanço dos alemães tenha permitido à turma de Ancelotti encetar vários contra-ataques, com Vini Jr., Camavinga, Rodrygo e Brahim Díaz. Do outro lado, Sesko e Olmo obrigavam Lunin a aplicar-se.

Esta foi a dinâmica imposta pelo Real Madrid até ao derradeiro apito, aproveitando a ansiedade dos alemães para, em velocidade, ameaçar o segundo golo. Aos 72m, Vini Jr., num remate cruzado, esteve próximo de sentenciar o encontro. Porém, o poste direito negou o 0-2.

Até ao final, os alemães perderam o discernimento ofensivo e Xavi Simons desapareceu. Ainda assim Lunin negou, em grande estilo, o empate, aos 82m, uma vez mais diante Sesko, e aos 85m, perante um «volley» de Haidara.

Reveja, ao pormenor, a história deste jogo, aqui.

A segunda mão desta eliminatória está agendada para a noite de seis de março, no Santiago Bernabéu. Por agora, os «merengues» centram atenções na visita ao Rayo Vallecano, na tarde de domingo, a contar para a Liga.

Por sua vez, o Leipzig, quinto da Bundesliga, recebe o Borussia Mönchengladbach na tarde de sábado. Para o encontro em Madrid, os alemães sabem que não poderão contar com o lateral Simakan, que atingiu o limite de cartões amarelos.

IMAGENS VÍDEO: TVI/ELEVEN NA DAZN

Relacionados

Patrocinados