O que é ser um bom líder? Líderes e trabalhadores não têm a mesma opinião

17 jun 2023, 19:00
Negócio (Getty)

Mais de 20% dos líderes considera liderar pelo exemplo, apenas 1,6% dos colaboradores pensa o mesmo, aponta estudo

Mais de metade dos líderes acredita que a boa liderança é aquela que inspira a organização, mas para mais de um terço dos trabalhadores (38,9%) comunicar de uma forma clara e eficaz é a marca que distingue uma boa liderança. Mais de 20% dos líderes diz liderar pelo exemplo, apenas 1,6% dos liderados pensa o mesmo, aponta o estudo “Shaping the Future Leadership”, realizado pelo QSP – Marketing Management & Research, conhecido esta sexta-feira.

Ser um líder inspirador é para 52,1% dos líderes a sua principal função numa empresa, seguida de comunicar de forma clara e eficaz (27,1%), delegar (12,1%) e tomar decisões difíceis (8,6%). Mas do lado dos colaboradores, um líder que tenha uma comunicação clara é mais valorizado (38,9%), surgindo só depois ser motivo de inspiração (37,5%) e, por fim, tomar decisões difíceis (12,5%) e delegar (11,1%).

“Em especial, nas empresas com menos de 10 colaboradores, a competência de delegar ganha especial destaque”, aponta o estudo da QSP, com base em 212 respondentes, num inquérito realizado entre 20 de abril e 29 de maio.

A forma distinta como líderes e trabalhadores olham para o tema da liderança também é visível na hora de classificar os estilos de liderança das organizações.

Os líderes definem-se, sobretudo, como participativos/democráticos, com mais de um terço (31,4%) a afirmar que optam por uma gestão que estimula a partilha de opinião de todos, a colaboração e o trabalho em equipa, enquanto 21,4% assume uma liderança pelo exemplo.

A visão não é totalmente coincidente com a dos liderados. Do seu ponto de vista, as lideranças democráticas dividem-se com as autocráticas (28,6%). “A liderança autoritária ou autocrática é salientada pelos liderados, sobretudo, nas empresas com 20 ou mais anos, sendo que nas empresas com menos de 10 anos os líderes são mais vistos como participativos ou democráticos”, refere a QSP.

Mais, apenas 1,6% dos liderados considera que o seu gestor tem um estilo de liderança pelo exemplo.

Nasce-se líder ou aprende-se?

Para a maioria ser um bom líder é algo mais inato do que aprendido, mas para 34,9% a capacidade de liderança é algo que já nasce com a pessoa, mas é “exponenciada pela aprendizagem ao longo da vida“, enquanto 24,5% defende que é algo mais aprendido do que inato.

“Uma liderança ágil e adaptável, que se possa ajustar rapidamente às mudanças, é vista como a mais importante por quase 30% das empresas, sendo relevante para 88,2% dos inquiridos”, aponta ainda o inquérito da QSP.

Não surpreende por isso que flexibilidade e adaptabilidade sejam apontadas como as competências de liderança mais importantes num mundo em mudança, “com a competência para tomar decisões estratégicas num ambiente complexo e em rápida transformação no mesmo patamar”, refere o inquérito. Já “liderar equipas virtuais e remotas é, de longe, a competência menos referida.”

A liderança é vista como tendo um papel fundamental para definir o futuro das organizações. Como? Ajudando a criar um ambiente de trabalho saudável e inclusivo para a equipa (83,5%), estimulando a inovação e a criatividade dentro da organização (81,6%), e definindo e comunicando uma visão clara para a organização (80,2%).

Identificar e desenvolver talentos e habilidades na equipa (76,9%) assume extrema importância num bom líder. Uma larga maioria dos inquiridos considera que se deve “fomentar uma cultura de aprendizagem contínua e feedback (86,3%), num ambiente de trabalho seguro e inclusivo, que valoriza a diversidade de opiniões e ideias (79,7%).”

Investir em formação e desenvolvimento de competências específicas é referido por 71,2%, mas apenas 19,3% o indica direta e exclusivamente.

Relacionados

Líderes

Mais Líderes

Mais Lidas

Patrocinados